discriminação

Em declaração racista, Mario Frias afirma que historiador negro 'precisa de um bom banho'

Internautas têm reagido com indignação à declaração dada pelo secretário especial de Cultura. No Twitter, a palavra 'racismo' está sendo um dos assuntos mais comentados na tarde desta quinta-feira (15) no Brasil

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 15/07/2021 às 16:40
Notícia
MARCELLO CASAL JR./AGÊNCIA BRASIL
Mario Frias disse que homem negro "precisa de um bom banho" - FOTO: MARCELLO CASAL JR./AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Em uma declaração racista, o secretário especial de Cultura, Mario Frias, afirmou que o historiador negro Jones Manoel "precisa de um bom banho". A fala se deu após o homem, que é militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB), publicar nas redes sociais que "já tinha comprado fogos" com a notícia da internação médica do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em decorrência de uma obstrução intestinal.

"Bolsonaro foi internado. Já comprei fogos. Estão deixando a gente sonhar...", escreveu o historiador em seu Twitter. 

A publicação feita por Jones ganhou mais de 5,4 mil curtidas e ganhou repercussão em alguns veículos de imprensa. Com isso, um assessor especial da presidência compartilhou a notícia sobre a declaração de Jones e perguntou quem seria o historiador.

Ocupando cargo no governo federal, Mario Frias, por sua vez, respondeu a pergunta do colega atribuindo a cor de Jones com a falta de limpeza. "Realmente eu não sei. Mas se eu soubesse diria que ele precisa de um bom banho", escreveu o secretário especial de Cultura.

Jones Manoel, que possui mais de 130 mil seguidores no Twitter e  Instagram, além de 165 mil inscritos em seu canal no YouTube em que discute história e teorias da Sociologia, respondeu o comentário de Mario nas próprias redes sociais.

"Olha o ex-ator frustrado e atual fascista cometendo um crime de racismo diário", escreveu. Já em outra publicação, o historiador citou um trecho da música 'Junho de 64', do rapper Jonga. Tive que ouvir que eu tava errado por falar pro 'cês' que seu povo me lembra Hitler, carregam tradições escravocratas e não aguentam ver um preto líder.

Outros compartilhamentos

Após o comentário de cunho racista, Mario Frias compartilhou uma imagem do secretário de Esportes, Marcelo Magalhães, que é negro, sobre a tramitação da Medida Provisória do mandante no futebol brasileiro, que foi assinada por Bolsonaro.

Além disso, o secretário especial de Cultura compartilhou publicações do presidente da Fundação Cultural Palmares, Sérgio Camargo, que já foi alvo de várias críticas por falta de políticas à população negra e minimizar o racismo. 

Repercussão

A discriminação de Mario contra o historiador ganhou uma grande repercussão na tarde desta quinta-feira (15) nas redes sociais. A palavra "racista" se tornou um dos assuntos mais comentados do Brasil e muitas pessoas prestaram apoio a Jones.

"O Secretário 'Especial' da Cultura, além de otário, também é racista? É isso mesmo?", se manifestou acerca do assunto o jornalista André Henning.


"Toda minha solidariedade ao camarada Jones Manoel, vítima de um ataque racista desse mutante medíocre que ocupa a pasta da Cultura. Ódio, ódio e nojo por esse racista. Vai cair junto com o chefe", escreveu o ator Gregorio Duvivier.

 

Comentários

Últimas notícias