VIOLÊNCIA

Raimundo Carrero desabafa sobre agressão sofrida pelo filho: 'Estou muito chateado e ofendido'

O professor universitário Rodrigo Carreiro foi assaltado e agredido no Parque Santana, na Zona Norte do Recife, e precisou passar por uma cirurgia

Emannuel Bento
Emannuel Bento
Publicado em 18/10/2021 às 17:17
Notícia
Foto: Arquivo JC Imagem
Escritor Raimundo Carrero - FOTO: Foto: Arquivo JC Imagem
Leitura:

O jornalista, escritor, romancista e contista pernambucano Raimundo Carrero expressou a sua indignação com o episódio de violência sofrido pelo seu filho, Rodrigo Carrero, que foi assaltado e agredido no Parque Santana, na Zona Norte do Recife, na última sexta-feira (15). "Estou muito, muito chateado e ofendido pela agressão sofrida pelo meu filho", publicou Raimundo, no Facebook, nesta segunda-feira (18). Também jornalista e professor da UFPE, Rodrigo precisou passar por uma cirurgia e recebeu alta no último domingo (17).

Raimundo Carrero deu continuidade ao lamento em entrevista ao JC. "Estamos vivendo um momento muito grave de violência e desorganização social. Estou espantado com tudo o que está acontecendo, embora a violência não seja novidade na vida brasileira", disse, por telefone. "Rodrigo é um professor muito querido na universidade, muito quisto pelos alunos, por isso foi uma tristeza profunda, uma angústia. Espero que as autoridades estejam trabalhando na solução desse caso, que pelo menos deem uma resposta oficial".

Carrero reforçou que o filho já está em casa, descansando com a família. A recuperação deve ocorrer dentro das próximas semanas. "Ele é muito forte, mas estou muito ofendido e chateado, porque ele sempre será um menino para mim, apesar de já ter quase 50 anos. Nunca imaginei Rodrigo sendo agredido dessa forma tão violenta."

Natural de Salgueiro, Raimundo Carrero veio para o Recife na infância e se tornou célebre no meio literário no inicio dos anos 1970, quando participou da criação do Movimento Armorial, que retomou temas da literatura oral e popular nordestina. Como professor, lecionou na UFPE de 1971 a 1996. Em 1989, fundou a Oficina de Criação Literária, no Recife, dedicada a jovens interessados na carreira de escritor. Em 2005, seus três primeiros romances foram publicados num único volume: "O Delicado Abismo da Loucura".

Sobre a agressão

Rodrigo Carreiro, 49 anos, andava de bicicleta, por volta das 11h30, quando foi surpreendido por três homens, que já fizeram a abordagem de forma bastante violenta. "Estava na pista de bicicleta, mais ou menos na terceira volta, quando os três correram pra cima de mim. Foi tudo muito rápido, fragmento de segundos. Um deles deu logo uma voadora e me derrubou. Não falaram nada. Pegaram minha bicicleta e meu celular, que caiu no chão, e foram embora", relatou o professor.

Logo após o ocorrido, ele procurou um vigilante, que o ajudou a ligar para o 190 e fazer a denúncia. Como mora perto do local, Rodrigo, muito machucado, foi andando para casa. Pediu ajuda à namorada, que o levou para um hospital particular. Lá, exames revelaram que ele teve quatro costelas quebradas. "A clavícula também estava quebrada em cinco partes. E um dedo em três partes", disse.

Na manhã do domingo, um juiz de 63 anos, da Décima Quarta Vara Cível da Capital, também foi assaltado e agredido em situação semelhante no bairro da Jaqueira, na Zona Norte do Recife. A abordagem foi feita por três homens ainda não identificados. Em nota, a Polícia Civil informou que "foi instaurado inquérito policial para apurar o caso, identificar e capturar os autores do crime".

Comentários

Últimas notícias