TELEDRAMATURGIA

Gilberto Braga, que faleceu nesta terça, criou grandes vilões de novelas; confira

Lista contempla personagens como Leôncio, de "Escrava Isaura"; Odete Roitman, de "Vale Tudo", e Bebel e Olavo, de "Paraíso Tropical"

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 27/10/2021 às 0:46
REPRODUÇÃO
Odete Roitman, de "Vale Tudo"; Laura, de "Celebridade"; Olavo e Bebel, de "Paraíso Tropical", personagens criados por Gilberto Braga - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

A teledramaturgia é um dos produtos culturais brasileiros mais populares, e por isso seus vilões podem ficar gravados por anos, décadas, no imaginário coletivo do País. Eles são referenciais para debates éticos e morais, servem para identificar mau-caratismos da vida real e são geradores de memes e brincadeiras.

Antes de Nazaré (Renata Sorrah), a vilã de Aguinaldo Silva na novela "Senhora do Destino" (2004), e de Carminha (Adriana Esteves), criada por João Emanuel Carneiro em "Avenida Brasil" (2012), se tornarem figurinhas, pode-se dizer que Odete Roitman (Beatriz Segall), de Gilberto Braga, reinou absoluta, por décadas, como a maior das vilãs. A primeira de todas. A megera de "Vale Tudo" (1988) foi criada por Gilberto Braga, autor de novelas que faleceu nesta terça-feira (26), aos 75 anos, devido a uma infecção generalizada.

"Vale Tudo" é um clássico da teledramaturgia, considerada "a novela das novelas", e tinha nas vilanias não só Odete Roitman, mas um trio de personagens que fez o Brasil detestar e dificilmente esquecer. Além da megera rica, Gilberto Braga apresentou Maria de Fátima (Gloria Pires), que tinha vergonha da mãe, Raquel (Regina Duarte), e o empresário corrupto Marco Aurélio (Reginaldo Farias), que termina a novela fugindo do Brasil e "dando banana".

Leia também: Zezé Motta agradece Gilberto Braga: 'Em 1984, graças a você, falamos de racismo em horário nobre'

Criar vilões foi uma boa especialidade e uma marca de Gilberto Braga durante toda a sua carreira. O primeiro de todos foi Leôncio, papel do ator Rubens de Falco, na novela "Escrava Isaura" (1976). Ele era responsável pelas maldades com a protagonista, interpretada por Lucélia Santos.

Em 2003, Laura (Cláudia Abreu), de "Celebridade", eletrizou o País com seu jeito feroz e debochado. Uma cena em que ela apanha de sua vítima, Maria Clara (Malu Mader), no banheiro durante uma festa, virou comoção nacional.

Mais recentemente, em "Paraíso Tropical" (2007), Gilberto Braga criou para deleite do público dois personagens 'vilanescos' que se tornaram amados pelo Brasil, mesmo com as ressalvas aos seus caráteres: o casal Bebel (Camila Pitanga) e Olavo (Wagner Moura).

Comentários

Últimas notícias