MÚSICA

'Eu preciso ser escutada para além da minha bolha', diz a cantora Urias, após álbum de estreia

Cantora traz 13 faixas de álbum de estreia, sendo a nova promessa do pop nacional

Bruno Vinicius
Bruno Vinicius
Publicado em 20/01/2022 às 16:11
João Arraes/Divulgação
IMPACTO Como uma boa artista pop, Urias também tem o apelo visual. Com videoclipes que impressionam pela estética e narrativa - FOTO: João Arraes/Divulgação
Leitura:

Há lendas que se consolidam com apenas um nome na música. São para poucas. A cantora Urias, de 27 anos, começou a trilhar seu caminho com o lançamento da segunda parte do seu disco de estreia, "Fúria", nas plataformas digitais. Singular como a própria assinatura artística, o trabalho reflete o amadurecimento de questões que a própria vêm colocando em pauta desde o lançamento da primeira parte, em 2021. Com produção de Rodrigo Gorky, Maffalda e Zebu, o material consolida Urias como a nova promessa pop brasileira, que é cada vez mais conquistada por nomes  LGBTQIAP - como Pabllo Vittar, Glória Groove, Ludmilla e Linn da Quebrada.

Em "Fúria", Urias soa pop nas 13 faixas que compõem o álbum. É pop, porque ela desenvolve suas questões particulares e outras vivências de pessoas LGBTQIAP para que todas as pessoas - ou uma grande parte delas - escutem. Para a produção das músicas, ela mergulha em sonoridades que vão do R&b ao Hip Hop, passando por elementos eletrônicos. O material é fortalecido a partir de parcerias com artistas como Vírus, Hodari, Charm Mone, Monna Brutal e Ebony, que são artistas que despontam na nova cena musical brasileira.

Em entrevista ao JC, Urias revela que o álbum é experimental, mas com a continuidade da identidade que ela já vinha colocando desde os seus primeiros singles. "Sonoramente eu continuo com a minha identidade mas sempre dando o próximo passo. É bastante experimental, tem muita influência do rap/hip hop atual e reflete muito como estava me sentindo quando fizemos, tanto nas bases quanto nas letras. Eu me abro mais em algumas faixas e também tem um lado mais venerável que as pessoas não imaginam que eu tenha", disse a cantora.

Para o time de produtores, Urias trouxe alguns dos principais nomes envolvidos com a música pop brasileira nos últimos anos. "Sempre trabalhei com os mesmos produtores. Desde o começo sempre tive muita liberdade artística e todo mundo da equipe sempre adicionou muito ao trabalho, eles são muito importantes pra mim e têm me acompanhado desde o começo. O álbum está tão bom como está por conta também da equipe", explica.

Como uma mulher negra e trans, seria inevitável que as suas vivências não estivessem em pauta na música, mas isso não significa que não venha numa roupagem pop e com estéticas do mainstream. "Eu preciso ser escutada para além da minha bolha, então me adaptei para um jeito que conseguissem me entender e que trouxesse reflexão. Não é nem um equilíbrio entre um e outro, é a mistura mesmo", conta Urias. 

E Urias tem razão. Os números dela, apesar da curta carreira, impressionam nas plataformas digitais. Na estreia, ela atingiu o primeiro lugar entre os álbuns mais vendidos no Itunes Brasil, sendo a primeira mulher trans a atingir a colocação. Além disso, foram duas músicas mais vendidas no top 15 das canções da plataforma. Além disso, ela acumula mais de 350 mil ouvintes mensais nas plataformas digitais, 27 milhões de visualizações em seu canal oficial do YouTube. Nas redes sociais, todavia, são mais de 600 mil seguidores.

Estética

 

Divulgação
Capa de "Fúria", primeiro disco de Urias - Divulgação

Como uma boa artista pop, Urias também tem o apelo visual. Com videoclipes que impressionam pela estética e narrativa, a cantora dá o tom preto e branco que segue toda a identidade visual de "Fúria". "Vou continuar contando minha história em preto e branco, no último clipe “Tanto Faz” tentamos trazer uma estética misteriosa que flertasse com um pouco de suspense e terror. Pretendo lançar mais um clipe ainda do álbum, mas, vamos ver como as coisas se desenrolam", relata.

Turnê internacional

Amigas e parcerias de trabalho, Pabllo Vittar e Urias sairão em turnê internacional neste ano. A cantora fará o ato de abertura dos shows da "I Am Pabllo Global Tour", pela primeira vez juntas em territórios internacionais. Os shows da Pabllo Vittar acontecerão na América Latina, América do Norte e Europa, porém Urias fará abertura, apenas, em Dublin, Warsaw, Milão, Londres, Amsterdam e Paris.

Comentários

Últimas notícias