CINEMA

Will Smith renuncia à vaga na Academia do Oscar após tapa em Chris Rock

O comunicado foi enviado com exclusividade à revista Variety

Amanda Azevedo
Cadastrado por
Amanda Azevedo
Publicado em 01/04/2022 às 21:33 | Atualizado em 01/04/2022 às 21:37
ROBYN BECK/AFP
Will Smith subiu ao palco para acertar o rosto de Chris Rock por causa de piada infame com Jada Pinkett Smith - FOTO: ROBYN BECK/AFP
Leitura:

Da Estadão Conteúdo

Will Smith, que no último domingo (27) recebeu o Oscar de melhor ator por King Richard, anunciou nesta sexta (1º) sua desfiliação na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas do Oscar. A saída da organização que mantém o Oscar é uma resposta ao ocorrido na edição, quando o ator estapeou o comediante Chris Rock, após uma fala sobre sua esposa, Jada Smith. O comunicado foi enviado com exclusividade à revista Variety.

"Respondi diretamente ao aviso de audiência disciplinar da Academia e aceitarei integralmente todas e quaisquer consequências por minha conduta. Minhas ações na apresentação do 94º Oscar foram chocantes, dolorosas e imperdoáveis. A lista daqueles que machuquei é longa e inclui Chris (Rock), sua família, muitos de meus queridos amigos e entes queridos, todos os presentes e o público global em casa", disse o ator à publicação. Após renunciar à Academia, o ator não poderá mais votar nas categorias da premiação, mas ainda poderá concorrer em próximas edições. Ele não corre o risco de perder sua estatueta.

"Traí a confiança da Academia. Privei outros indicados e vencedores da oportunidade de celebrar e ser celebrado por seu trabalho extraordinário. Estou de coração partido. Quero colocar o foco de volta naqueles que merecem atenção por suas realizações e permitir que a Academia volte ao incrível trabalho que faz para apoiar a criatividade e a arte no cinema."

"Portanto, estou renunciando da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas e aceitarei quaisquer outras consequências que o Conselho julgar apropriadas. A mudança leva tempo e estou comprometido em fazer o trabalho para garantir que nunca mais permita que a violência ultrapasse a razão.", concluiu Smith.

Comentários

Últimas notícias