ARTES VISUAIS

Exposição "Isto É um Roçar de Mãos" reúne obras de criação colaborativa

Mostra abre neste sábado (2), no Mamam, com trabalhos de Kaísa Lorena, Mitsy Queiroz e Sumaya Nascimento

Romero Rafael
Cadastrado por
Romero Rafael
Publicado em 01/07/2022 às 19:51
DIVULGAÇÃO
TRABALHO Instalação Conceição do Nascimento, da artista Sumaya Nascimento - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Uma série de trabalhos criados num processo colaborativo entre os artistas Kaísa Lorena, Mitsy Queiroz e Sumaya Nascimento estará em exposição, a partir deste sábado (2), no Aquário Oiticica do Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães, o Mamam, na Boa Vista. A mostra se chama Isto É um Roçar de Mãos? — verso de poema de Carlito Azevedo sugerido por Ana Gabriella Aires, que divide a curadoria com Guilherme Moraes. São todos nomes novos que têm ventilado a produção e o fazer curatorial em arte contemporânea em Pernambuco.

Sobressai nesses novos artistas e curadores um desejo de experimentar — investigando e aprendendo — processos artísticos e coletivos. Isto É um Roçar de Mãos?, mesmo, é um desdobramento da pesquisa que Kaísa faz no mestrado, voltada para criações colaborativas, pelo Programa Associado de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFPB e UFPE.

Ela aprovou o projeto da exposição no edital de fomento à cultura Recife Virado, e então chamou a artista Sumaya Nascimento, com quem já divide ateliê, e o artista Mitsy Queiroz, quem já conhecia do mesmo programa de mestrado. Os três passaram a se reunir no início do ano para elaborar as obras que o público poderá ver de hoje (do meio-dia às 17h, com entrada pela Rua da União) até o dia 30.

"A ideia dessa exposição é a gente ter uma conversa sobre as poéticas de cada artista e como elas conversam entre si", conta Kaísa. Não há sobreposição, ela frisa, e sim contaminação. Nesse processo, as linguagens se misturam — "fotografia com performance, instalação, escultura. A proposta é borrar esses limites".

Borrou-se também o limite entre os papéis de artista, produtor e curador. Guilherme Moraes conta que ele e Ana Gabriella Aires entraram no processo quando já havia a rede de artistas formada por Kaísa. "De certa maneira, curatorialmente, foi mais horizontal, em que eu e Gabi viramos testemunhas de um processo, compondo ele, incitando debates, anotando, pesquisando, estando ao lado e atento. Mas os artistas também estavam se acompanhando curatorialmente, bem comprometidos com o aprendizado."

Na rotina das reuniões, por exemplo, acontecia de alguém propor aos demais atividades para o próximo encontro a partir de uma criação sua. Nessa proposição, as linguagens se contaminaram de forma que Mitsy Queiroz, que trabalha com fotografia, produziu objetos para serem fotografados, enquanto Sumaya Nascimento, artista da tridimensionalidade, realizou fotografias a partir de suas esculturas.

Moraes destaca também os resultados de Kaísa — "ela tem explorado uma pluralidade de linguagens, entendendo que não existe muita barreira na produção poética dela".

Isto É um Roçar de Mãos? é composta por 23 obras híbridas — entre elas, 12 fotografias, uma instalação, 4 esculturas e 2 livros-objetos.

Comentários

Últimas notícias