PATRIMÔNIO

Lia de Itamaracá ocupa o coração de São Paulo até julho; você pode visitar ou assistir a shows on-line

Ocupação do Itaú Cultural promove mostra, shows e live educativa em homenagem à artista pernambucana que é o nome máximo da ciranda

Romero Rafael
Cadastrado por
Romero Rafael
Publicado em 20/04/2022 às 15:45 | Atualizado em 20/04/2022 às 16:37
DIVULGAÇÃO
Lia de Itamaracá - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Estreia nesta quarta-feira (20), no Itaú Cultural, a "Ocupação Lia de Itamaracá", em celebração à artista pernambucana de 78 anos, nome máximo da ciranda — manifestação que desde agosto de 2021 é reconhecidamente Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil. O espaço situado à Avenida Paulista, em São Paulo, seguirá com uma programação presencial até o dia 11 de julho. Algumas ações poderão ser acompanhadas virtualmente.

A "Ocupação Lia de Itamaracá" — já a 55ª da série dedicada a artistas que influenciam gerações — apresenta a trajetória da cirandeira em três eixos: Sal, Som e Sol.

A curadoria da Ocupação é coletiva, feita pelos Núcleos de Música e de Comunicação do Itaú Cultural mais a jornalista Michelle Assumpção, autora da biografia "Lia de Itamaracá: Nas Rodas da Cultura Popular", publicada pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), e também a cantora e compositora Alessandra Leão, ambas pernambucanas.

Lia: Sal, Som e Sol

O eixo Sal revela quem é Maria Madalena Correia do Nascimento, nascida em 1944 na Ilha de Itamaracá, anos depois tornada Lia de Itamaracá. Mostra fotografias, audiovisuais e detalhes da decoração da casa da artista. Além do certificado de que Lia descende do povo djoula, da Guiné-Bissau.

No Som, entra a ciranda. Vai do disco "Rainha da Ciranda", o primeiro lançado por Lia de Itamaracá, lá no ano de 1977, até o "Ciranda Sem Fim", de 2019, produzido por DJ Dolores e eleito entre os 25 melhores daquele ano pela Associação Paulista de Críticos de Arte, a APCA.

O último, Sol, apresenta outros lugares e linguagens onde brilhou Lia de Itamaracá, como na moda — tendo participado do último São Paulo Fashion Week — e também no cinema — atuando no curta-metragem Recife Frio, do pernambucano Kleber Mendonça, assim como no mais recente longa do diretor, realizado em parceria com Juliano Dornelles, Bacurau. Fora o curta documental Formiga que Come do que Carrega, de Tide Gugliano, e o longa Sangue Azul, de Lírio Ferreira.

DIVULGAÇÃO
Lia de Itamaracá - DIVULGAÇÃO

Shows

Na programação da "Ocupação Lia de Itamaracá" constam duas minitemporadas de shows que começam nesta quinta-feira (21), na Sala Itaú Cultural. Esta primeira seguirá até domingo (24), baseada no disco "Ciranda de Ritmos" (2008) e contará com a participação da cantora Daúde.

Já na próxima semana semana — de 28 de abril (quinta-feira) a 1º de maio (domingo) —, Lia de Itamaracá apresentará o show do disco "Ciranda Sem Fim", com a participação de Alessandra Leão nos dois primeiros dias, quinta e sexta. No sábado, a cirandeira receberá Edgar e no domingo, Iara Rennó.

DJ Dolores participará de todas as apresentações, assim como Roger de Renor, como mestre de cerimônia.

As apresentações desta e da próxima sexta-feira — dias 22 e 26 — serão transmitidas ao vivo pelo canal do Itaú Cultural no YouTube.

Live educativa

No dia 31 de maio, Alessandra Leão ministrará uma live promovida pelo educativo do Itaú Cultural. A cantora, compositora e percussionista - que é uma das curadoras da Ocupação e também participou de outros projetos com Lia de Itamaracá - vai falar sobre a pluralidade de saberes que a artista representa para a cultura brasileira. Ela, a propósito, possui o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco, a medalha da Ordem do Mérito Cultural, pelo Ministério da Cultura, e também o título de Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). A transmissão ocorrerá pelo perfil da instituição no Instagram: www.instagram.com/itaucultural.

DIVULGAÇÃO
Lia de Itamaracá é Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) - DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias