Bandido, porém amado

DRAMATURGIA Emílio Dantas fala da dificuldade nas cenas de Rubinho em A Força do Querer

RAQUEL RODRIGUES
RAQUEL RODRIGUES
Publicado em 17/11/2020 às 2:00
MAURICIO FIDALGO/TV GLOBO
PAPEL Emílio Dantas é o controverso Rubinho na trama da Globo - FOTO: MAURICIO FIDALGO/TV GLOBO
Leitura:

De marido dedicado a traficante perigoso, Emílio Dantas soube interpretar cada passo de Rubinho em A Força do Querer. Na novela das 21h da Globo, exibida originalmente em 2017, a ambição desenfreada do personagem acaba levando-o para um caminho sem volta no mundo do crime. Segundo o ator, esse sonho de riqueza do marido de Bibi (Juliana Paes) foi definitivo para o fim trágico que teve na história de Gloria Perez, ao ser morto por Sabiá (Jonathan Azevedo).

"A maior dificuldade de fazer a novela foi prática (risos). A primeira fuga do Rubinho foi próxima aos estúdios da Globo e era uma maratona. Depois, teve outra na Tavares Bastos (comunidade na Zona Sul do Rio de Janeiro). Na terceira eu já estava dentro do esgoto na Cinelândia, no Centro do Rio. Quando descobri que ele ia fugir até o fim da novela, falei: 'Vamos nessa'", comenta Emílio.

Três anos se passaram desde o desfecho da trama de Rubinho e Bibi na novela. De acordo com o artista, é bom debater os temas propostos por Gloria Perez. Atualmente, ele mesmo tem outro olhar sobre o criminoso. Após refletir, o ator relata que vê o personagem como um mau exemplo e não simpatiza mais tanto com ele como na época em que deu vida ao papel na televisão.

"A mensagem que eu quero ouvir no final de tudo é que as pessoas entenderam que algumas histórias ali não têm a ver com o querer em si, nem com um sonho ou uma meta a ser atingida, mas em ser quem se é. Então, tomara que o público faça essa diferenciação no fim das contas", revela.

IMPACTO

O amor doentio de Bibi por Rubinho movimenta a trama de A Força do Querer. Por paixão ao marido, a personagem não hesitava em ajudá-lo no que fosse necessário. Em cena, Emílio contava com a parceria da atriz Juliana Paes, que ele classifica como fundamental para o sucesso do trabalho na trama de Gloria Perez.

"A repercussão ficava com a Bibi, o Rubinho era a escada. Ele dava o brilho para a personagem fazer o jogo dela acontecer. Também havia essa picuinha com o Sabiá. Foi bem louco. As pessoas gostavam desse bandido", relembra.

Comentários

Últimas notícias