Consumidor residencial

Celpe não poderá cortar energia durante pandemia do coronavírus

Pedido feito pela Defensoria Pública do Estado foi aceito pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco

Edilson Vieira Marília Banholzer
Edilson Vieira
Marília Banholzer
Publicado em 23/03/2020 às 16:32
Notícia
BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Casas que tenham tido a energia cortada por inadimplência deverão ter a luz religada - FOTO: BRENDA ALCÂNTARA/JC IMAGEM
Leitura:

O Tribunal de Justiça de Pernambuco acatou nesta segunda-feira (23) um pedido feito pela Defensoria Pública do Estado que proíbe a Companhia Energética de Pernambuco de suspender o fornecimento de energia elétrica dos consumidores residenciais ao longo do período de emergência de saúde relativo à pandemia de coronavírus.

O juiz Júlio Cézar Santos, da 3a. Vara Cível da Capital, acatou o pedido, em decisão liminar, enfatizando a decisão que “a  suspensão do fornecimento de energia nesse período, decorrente da falta de pagamento impossibilita as pessoas de permanecerem em suas residências, como recomendado, porque, primeiramente, não poderão utilizar seus equipamentos elétricos, de necessidade básica, alimentados por energia elétrica, e, em segundo lugar, porque se verão na obrigação de sair de casa, seja apenas para pagar os boletos ou porque precisam trabalhar para manter a sua renda e as contas em dia, frustrando a ordem de isolamento, emanada das autoridades ligadas à saúde. Percebe-se, assim, que o dano a coletividade, neste período, é maior quando há fluxo de pessoas nas ruas, possibilitando a propagação da doença”.

» Sobe para 42 o número de casos confirmados de coronavírus em Pernambuco

» Governo de Pernambuco diz que não vai suspender nem isentar cobrança de impostos

» Governo de Pernambuco lança pacote de ações para garantir abastecimento de água no Grande Recife e interior

» Coronavírus em Pernambuco: veja os casos confirmados por faixa etária

O pedido da Defensoria Pública de Pernambuco incluiu o restabelecimento da energia elétrica daquelas casas que já tiveram o fornecimento cortado por inadimplência, tudo isso sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil por consumidor afetado. O texto da defensoria pública também prevê possibilidade de responsabilização criminal para o caso de descumprimento.

» Bandeira tarifária segue verde em março; conta não terá cobrança extra

» Para baixar a conta de energia não basta aderir a tarifa branca

Ao dar entrada na Ação Civil Pública, o defensor público e coordenador do Núcleo de Causas Coletivas, Rafael Alcoforado, defendeu que o corte de energia expõe as pessoas ao risco, pois as obriga a saírem de suas casas. "Elas não têm sequer como pagar suas contas online e desta forma se expõem ao risco através desse corte", ressaltou.

Dívida não será perdoada

Segundo Rafael Alcoforado, a recomendação expedida na última quarta-feira (18) é direcionada à Celpe e está restritamente ligada ao corte de energia durante essa pandemia. "Não foi pedido para ser suspensa a cobrança. A dívida vai continuar existindo e poderá ser cobrada pela empresa judicialmente ou por qualquer outro meio possível", frisou o defensor público. Rafael Alcoforado salientou ainda que, encerrado o período de isolamento social provocado pela pandemia, a Celpe  poderá voltar a cortar o fornecimento de energia dos clientes inadimplentes.

De acordo com a Defensoria Pública do Estado, em resposta ao pedido de suspensão dos cortes, feito na semana passada, a Celpe informou que analisaria as medidas junto à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). “A Celpe respondeu informando que não poderia adotar essa medida sem a orientação do Órgão regulador. Diante de alguns casos que a Defensoria recebeu de dois cortes efetuados, nós decidimos entrar com a ação civil pública”, enfatizou Alcoforado.

A reportagem do Jornal do Commercio entrou em contato com a Aneel que através de sua assessoria de imprensa, respondeu que não vai comentar o assunto.  A Celpe também informou que "não vai se manifestar publicamente sobre o assunto neste momento".

Como economizar energia

- Quando estiver usando o chuveiro elétrico, tome banhos mais curtos, de até cinco minutos;

- No verão, selecione a temperatura morna;

- Verifique as potências do chuveiro e calcule seu consumo;

- Não deixe portas e janelas abertas em ambientes com ar condicionado;

- Mantenha os filtros do ar condicionado limpos;

- Diminua ao máximo o tempo de utilização do aparelho;

- Coloque cortinas nas janelas que recebem sol diretamente;

- Só deixe a porta da geladeira aberta o tempo necessário;

- Regule a temperatura interna de acordo com o manual de instruções do aparelho;

- Espere os alimentos esfriarem para colocar dentro da geladeira;

- Deixe espaço para ventilação na parte de trás do aparelho e não a utilize para secar roupas ou panos;

- Não forre as prateleiras da geladeira;

- Descongele e verifique as borrachas de vedação de forma regular;

- Utilize iluminação natural ou lâmpadas econômicas e apague a luz ao sair de um cômodo;

- Pinte o ambiente com cores claras;

- Junte roupas para passar de uma só vez;

- Separe as roupas por tipo e comece por aquelas que exigem menor temperatura;

- Nunca deixe o ferro ligado enquanto faz outra atividade;

- Retire os aparelhos da tomada quando possível ou durante longas ausências (viagens, etc);

 Ouça o novo episódio do podcast O Fato É...

Confira o mapa de casos

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias