Economia, dinheiro, covid-19, coronavírus

Transferência do auxílio emergencial não cai diretamente na conta-corrente dos clientes de bancos privados

Apesar do aplicativo Caixa Tem disponibilizar a função, os clientes dos bancos privados não têm acesso ao dinheiro como correntistas

Lucas Moraes
Lucas Moraes
Publicado em 04/05/2020 às 20:58
SÉRGIO BERNARDO/ACERVO JC IMAGEM
Pagamento pelos bancos privados só é feito em contas poupança - FOTO: SÉRGIO BERNARDO/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Até o fim da tarde desta segunda-feira (4), a Caixa Econômica Federal (CEF) contabilizava mais de 3 milhões de pagamentos do auxílio emergencial feitos através dos bancos privados. Embora esses bancos, a exemplo do Bradesco, Itaú e Santander, não tenham atuado de forma direta na operação para fazer com o dinheiro chegue aos beneficiários, dentro do aplicativo Caixa Tem, o usuário pode optar por transferir o valor de R$ 600 (ou R$ 1.200) para a sua conta-corrente nos mais diversos bancos. A questão é que, sem divulgação clara, a operação tem assustado alguns correntistas, que não veem o dinheiro cair na conta indicada e, de quebra, descobrem também ter uma conta poupança atrelada à conta-corrente. 

 

  • Câmara vota auxílio emergencial para estados e municípios
  • Veja como está a situação para quem precisa do auxílio emergencial no Grande Recife
  • Geraldo Julio: Talvez se o auxílio emergencial fosse pago em todos os bancos, não haveria aglomeração
  • Núcleo Estadual de Telessaúde promove palestras online em período de pandemia do coronavírus
  • Pernambucano cria CovidVoucher para ajudar famílias durante a pandemia do coronavírus
  • Caixa ainda tem em análise pelo menos 6 milhões de cadastros do auxílio emergencial
  • Grupo Magiluth lança experiência virtual e multiplataforma durante quarentena
  • Pernambuco já registra em média 30 chamados diários para conter tumultos e agressões em filas de banco

 

Aconteceu com Thamires de Sá, 25 anos, desempregada, depois de mais de duas semanas de espera pelo benefício se assustou. "Fiz a operação para a conta-corrente, mas na hora que caiu, chegou uma mensagem do banco dizendo que o dinheiro tinha sido transferido para outra conta, no caso, uma poupança, que nem sabia ter", diz ela. 

Cliente do Bradesco, ela transferiu R$ 600 da poupança digital criada pela Caixa no aplicativo Caixa Tem, pretendia pagar contas atrasadas, pela conta-corrente, através do aplicativo do banco Bradesco. Não conseguiu. Precisou ir a uma agência, sacar o dinheiro e depositar na conta-corrente. "Nem sabia que tinha poupança no Bradesco e pelo aplicativo não consegui transferir da poupança para a conta-corrente ou fazer os pagamentos direto da poupança", diz ela. 

A prática tem sido comum aos bancos, com o argumento de que o dinheiro é colocado na conta poupança para evitar descontos de débitos no caso de recebimento do auxílio da conta-corrente - o que já é vedado pela Medida Provisória de criação do auxílio.

De acordo com o Bradesco, os clientes possuem a Conta Fácil Bradesco, que possibilita movimentar as modalidades conta corrente e poupança com o mesmo número e mesmo cartão de débito.

"O valor do Auxilio Emergencial é creditado como saldo livre na Conta Fácil Bradesco - modalidade poupança, para que os recursos não sejam consumidos para quitar débitos já programados na conta-corrente." 

O mesmo tem sido feito pelo banco Itaú. "No Itaú, a conta poupança já existe para todos os clientes, vinculada à conta-corrente e isso não causa nenhum gasto para o cliente. Nesse caso, o cliente do banco não precisa fazer qualquer ação para receber o valor. O auxílio emergencial é creditado nessa conta poupança justamente para que não haja qualquer desconto para o cliente, que pode utilizar o valor como preferir (sacar, pagar contas, transferir etc.)", diz o banco em nota. 

Quanto ao Santander, o banco garante que o auxílio emergencial do governo federal é depositado sem qualquer desconto do valor. "Uma conta poupança vinculada à sua conta corrente é criada automaticamente. Essa é uma forma de evitar que a quantia seja utilizada para pagar eventuais débitos agendados na conta- corrente. Assim que o valor é creditado, o cliente recebe do Banco a informação de que o recurso está liberado para saque ou transferência." 

Embora criem as contas e façam a operação de transferência quando pago o auxílio, os bancos não podem cobrar tarifas dos clientes para a abertura e manutenção da conta poupança. Isso é proibido pelo Banco Central.

Como transferir

Ao conseguir acesso ao aplicativo Caixa Tem, o beneficiário do auxílio emergencial terá acesso a um menu de opções para movimentação do auxílio. Estarão listados: saque sem cartão; transferir dinheiro; Auxílio Emergencial; Cartão de débito virtual, realizar pagamentos e extratos. 

Ao clicar na opção "transferir dinheiro", o usuário será levado a um chat. Lá será apresentado o número da conta poupança digital criada pela Caixa. O usuário deve escolher a opção "continuar", em seguida escolher o banco onde mantém a conta-corrente ou poupança para qual irá transferir a quantia. Será preciso digitar o número da agência, depois da conta sem o dígito, para em seguida digitar apenas o dígito e o nome completo do titular da conta. Depois disso, é possível conferir as informações prestadas e gerar um comprovante. 

Com a instabilidade nos aplicativos da Caixa, muita gente tem deixado para acessar durante a noite ou pela madrugada. No caso das transferências, vale lembrar que no caso da Caixa, por exemplo, o horário para emissão e agendamento da transferência via DOC é das 7h às 20h30 de segunda a sexta-feira. O horário para emissão de TED segue a regra do BC, ou seja, até às 17h em dias úteis.

 

 

 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias