Inovação

Ekäut aposta em transformação digital, delivery e novos produtos durante a pandemia da covid-19

Cervejaria artesanal já está atendendo as capitais do Nordeste com o serviço de delivery "Ekäut em Casa" e quer expandir a ideia por sistema de franquia

JC
JC
Publicado em 14/06/2020 às 15:16
Notícia
ANDRÉA RÊGO BARROS/DIVULGAÇÃO
Ekäut inova na quarentena para manter negócio ativo - FOTO: ANDRÉA RÊGO BARROS/DIVULGAÇÃO
Leitura:

O mercado de cervejas artesanais, que vinha crescendo a taxas espetaculares de dois dígitos ao ano, começou 2020 com a expectativa de crescer 45% no exercício. A chegada da pandemia da covid-19 paralisou a economia e desmantelou os planos das empresas. Foi preciso frear o que estava previsto e ‘inventar’ novas alternativas. Criada em 2015, a a Ekäut é exemplo de cervejaria artesanal que vinha num processo de crescimento e profissionalização. Nos últimos anos se capitalizou e apostou na expansão da capacidade produtiva. Com a entrada do novo coronavírus no Brasil, a cervejaria deu uma virada rápida nos seus processos digitais e nos canais de comercialização para se manter ativa no negócio

A Ekäut estabeleceu três iniciativas para turbinar os negócios durante a pandemia. A primeira foi a digitalização dos processos internos para permitir o trabalho retomo, deixando no trabalho de fábrica apenas quem precisa estar presente fisicamente. A segunda iniciativa é o plano de lançamento de novos produtos, inclusive fora da categoria de cerveja, e a terceira é a plataforma de vendas digitais, que recebeu o nome de Ekäut em Casa e tem sistema de entrega em cidades da Região Metropolitana do Recife (RMR) e em capitais do Nordeste.

O diretor da Ekäut, Diogo Chiaradia, diz que a pandemia exigiu uma transformação rápida na empresa e que muitas mudanças deverão virar realidade no novo normal. “Criamos um comitê de soluções digitais para transformar o dia a dia. O home office, por exemplo, é uma realidade que veio para ficar. Outra questão é o comportamento do consumidor, que certamente mudou e mudará mais. Todos precisaremos nos adaptar a essas novas formas de consumo”, observa.

A criação do delivery foi uma experiência para dialogar melhor com as necessidades do cliente, em função da necessidade imposta pelo coronavírus de manter o distanciamento social. Então a cervejaria criou a Ekäut em Casa, uma plataforma digital que pode ser acessada pela web ou por aplicativo para fazer os pedidos. “Temos um sistema de entrega rápida, com os produtos chegando em até uma hora. A plataforma do Grande Recife é própria, mas as das capitais do Nordeste funcionam em sistema de franquia e queremos expandir. Hoje temos em João Pessoa, Fortaleza, Salvador e Aracaju, mas até o final de julho queremos chegar a todas as capitais da região”, adianta Chiaradia. O serviço funciona de domingo a domingo, das 12h às 22h nos dia de semana e das 11h às 22h nos finais de semana. A taxa de entrega depende da região.

Com os consumidores em isolamento compulsório, a Ekäut em Casa vem crescendo a uma taxa de 50% a 60% por mês e já conseguiu compensar em 20% a queda na receita da empresa provocada pela pandemia. A aceitação do serviço fez com que a cervejaria artesanal começasse a incluir produtos de outras categorias no catálogo de entrega. “Estamos conversando com produtores locais que possam oferecer produtos diferenciados. Já temos café e refrigerante, por exemplo. Por conta da demanda, também estamos comprando álcool das usinas e produzindo álcool em gel e envasando álcool 70%, afirma Chiaradia, lembrando que a Ekäut conseguiu licença da Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) para manipular esses produtos. Segundo ele, esses itens já representam 10% das vendas.

SUPERMERCADOS

Com o fechamento de bares e restaurantes, que só puderam funcionar em sistema de delivery e coleta em função do coronavírus, os supermercados e hipermercados acabaram se tornando fortes aliados nas vendas. “No segmento de supermercados estamos presentes da Bahia ao Ceará e também no interior de Pernambuco. É a maior cobertura de uma cerveja artesanal fora das grandes cervejarias”, destaca o executivo.

Instalada na Guabiraba, no Recife, a fábrica da Ekäut tem capacidade para produzir 100 mil litros de cerveja por mês. A empresa já produziu mais de 20 rótulos, mas hoje concentra o portfólio em dez rótulos. Quando começou a pandemia no Estado, a empresa aproveitou o estoque e suspendeu a produção, mas este mês religaram as máquinas. Como o brasileiro adora cerveja, a empresa aposta numa retomada gradual do setor a partir da nova normalidade.

“Nós acreditamos que haverá uma retomada gradual do mercado até que esteja disponível uma vacina e voltaremos ao ritmo de pré-covid. O mercado de cerveja é milenar, é a bebida preferida dos brasileiros e está entre as três mais consumidas no mundo. O consumo consciente (beber menos e melhor), que já era uma bandeira do segmento artesanal se consolidou com a busca do bem estar e saudabilidade”, diz.

ANDRÉA RÊGO BARROS/DIVULGAÇÃO
Ekäut inova na quarentena para manter negócio ativo - FOTO:ANDRÉA RÊGO BARROS/DIVULGAÇÃO
ANDRÉA RÊGO BARROS/DIVULGAÇÃO
Ekäut inova na quarentena para manter negócio ativo - FOTO:ANDRÉA RÊGO BARROS/DIVULGAÇÃO

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias