Retomada da economia

PIB de Pernambuco cresce 10,8% no terceiro trimestre, acima da média nacional de 7,7%

Agropecuária e indústria foram os principais responsáveis pelo desempenho positivo, enquanto o setor de serviços continua em queda

Adriana Guarda
Adriana Guarda
Publicado em 11/12/2020 às 12:16
Notícia
JOSÉ PAULO LACERDA/CNI
RESULTADO Em relação ao mês de maio de 2020, a produção subiu 24% - FOTO: JOSÉ PAULO LACERDA/CNI
Leitura:

Depois de uma queda violenta no segundo trimestre por conta da pandemia, o Produto Interno Bruto (PIB) de Pernambuco voltou a apresentar crescimento no terceiro trimestre. Na comparação com os três meses imediatamente anteriores, a economia do Estado avançou 10,8%, superando o desempenho do Brasil (7,7%). A agropecuária (20,7%) e a indústria (7,9%) foram os setores que puxaram o crescimento, enquanto os serviços não acompanharam esse movimento e fecharam em queda (-2,5%). Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (11) pela Agência de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco (Condepe/Fidem), durante coletiva virtual.

Apesar do bom resultado do terceiro trimestre, a taxa ainda não será suficiente para eliminar as perdas trazidas pela crise da covid-19. Quando se observa o acumulado do ano, de janeiro a setembro, a taxa ainda é negativa em 2,7%. O diretor da Condepe/Fidem Maurílio Lima diz que a expectativa ainda é fechar o ano com resultado negativo. “A forte queda no segundo trimestre (-9,3%) nos levou a prever uma retração de 5% no Pib em 2020, mas esse resultado pode surpreender e a queda ser menor do que se imaginava. No acumulado do ano ela é de -2,7%, pela crise provocada pela pandemia não acreditamos em resultado positivo, a não ser que aconteça algo muito espetacular”, diz.

No terceiro trimestre, a agropecuária teve participação importante na performance do PIB, estimulada sobretudo pela boa safra da cana-de-açúcar 2020-2021, que puxou não apenas o setor, mas a geração de empregos em Pernambuco. A indústria também contribuiu para o PIB, com crescimento geral de 7,9% e avanço em segmentos como transformação (11,7%) e construção civil (2,8%).

Só o setor de serviços, o mais atingido pela pandemia, não acompanhou o movimento de avanço das outras atividades. Principal setor econômico de Pernambuco, com 75,5% departicipação no PIB, aos serviços apresentaram queda de 2,5% no terceiro trimestre. “Os serviços dependem do comportamento da renda das famílias e esse rendimento foi prejudicado, apesar do auxílio emergencial. Esse é um dos fatores que explica a queda dos serviços, além do tempo que restaurantes, bares e atividade turística ficou fechada. Agora mesmo o setor de eventos terá que ter mais cautela”, observa Lima.

ACUMULADO

Os resultados acumulados no ano, até o terceiro trimestre de 2020, foram influenciados pelo desempenho econômico nos dois primeiros trimestres do ano, embora com números maiores que o nacional. O PIB pernambucano registrou redução de 2,7% e o nacional 5,0%, em relação a igual período do ano anterior.

O comportamento do PIB de Pernambuco, no trimestre em relação ao trimestre anterior, decorreu do seguinte resultado dos três grandes setores econômicos: Agropecuária (5,9%), Indústria (24,6%) e Serviços (6,4%).

Em relação ao 3º trimestre de 2019, o Setor Agropecuário apresentou variação de 20,7%%. Destaque neste setor para a produção das chamadas lavouras temporárias - cana-de-açúcar, mandioca, milho, cebola, entre outros- que cresceram 56,3%. Já a pecuária -bovinos, ovos e aves- cresceu 4,0%.

Entre as atividades industriais, que cresceram 7,9%, o destaque foi o aumento na indústria da transformação (11,7%). Houve decréscimo nos Serviços (-2,5%), apesar do comportamento positivo do comércio (7,9%) e da intermediação financeira, seguros, previdência complementar e serviços relacionados (5,2%).

Comentários

Últimas notícias