cibermoeda

Governo chinês proíbe criptomoedas em bancos e instituições financeiras

Nas últimas 24 horas, o mercado teve queda de 15%

Julianna Valença
Cadastrado por
Julianna Valença
Publicado em 19/05/2021 às 11:47
Foto: Pixabay
Segundo dados do CoinMarketCap, nesta quarta-feira (19) as criptomoedas passaram de US$ 2,12 trilhões para US$ 1,8 trilhão. - FOTO: Foto: Pixabay
Leitura:

O mercado de criptomoedas teve queda de 15% nas últimas 24 horas, passando de US$ 2,12 trilhões para US$ 1,8 trilhão, segundo dados do CoinMarketCap desta quarta-feira (19). A baixa pode ter ocorrido por causa de uma decisão da China. De acordo com a agência Reuters, o país asiático proibiu a utilização da criptomoeda em bancos e sistemas de pagamento com este tipo de moedas digitais.
O Bitcoin (BTC) também entrou em queda e atingiu o menor preço desde fevereiro deste ano, custando US$ 40 mil. O Ethereum (ETH) despencou de US$ 4.357 para US$ 2.982.


Mesmo com a proibição do governo chinês, continua a existir a liberdade individual de cada cidadão. A restrição impossibilita apenas as instituições financeiras de ter qualquer tipo de negócio envolvendo criptomoedas.

Segundo a Reuters, três órgãos do setor financeiro anunciaram a decisão: A National Internet Finance Association of China, a China Banking Association e a Payment and Clearing Association of China. Na declaração, as três revelaram que a decisão foi tomada devido aos riscos oferecidos no comércio de criptomoedas.

Agora, bancos e empresas com pagamento online não podem oferecer nenhum serviço que envolvam criptomoedas, incluindo qualquer tipo de registo, negociação, compensação e liquidação. Estão proibidas também as trocas de tokens e ofertas iniciais de moedas.

Comentários

Últimas notícias