AGRONEGÓCIO

Agronegócio pernambucano aumentou as exportações em 56%

De janeiro a abril deste ano, os produtos da agricultura do Estado mais exportados foram o açúcar, o álcool, mangas, uvas e sucos

Angela Fernanda Belfort
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 24/05/2021 às 16:42
Notícia
Tomaz Silva/Agência Brasil
INSS Para os beneficiários do INSS, prova de vida volta 1º de junho - FOTO: Tomaz Silva/Agência Brasil
Leitura:

As exportações do agronegócio pernambucano alcançaram a soma de US$ 147,5 milhões (cerca de R$ 784,7 milhões) no acumulado de janeiro a abril de 2021, o que corresponde a um crescimento de 56% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os números sinalizam um novo recorde em relação aos primeiros quadrimestres dos últimos oito anos, segundo informações da Federação da Agricultura do Estado de Pernambuco (Faepe).

>> Com receita recorde, agronegócio vai aumentar participação no PIB do País

Os principais produtos exportados nesses quatro primeiros meses foram o açúcar (US$ 70,5 milhões), álcool (US$ 13,9 milhões), mangas (US$ 24,4 milhões), uvas (US$ 16,5 milhões) e sucos (US$ 5,3 milhões). Esses cinco itens representaram 88,5 % da pauta exportadora do agro pernambucano neste período.

Segundo o presidente da Faepe, Pio Guerra, mais uma vez a cana-de-açúcar fortalece a economia estadual. “Com um câmbio atrativo e mercado favorável, a cadeia canavieira pôde mostrar sua eficiência, diversificando seus países compradores”, destacou.

Com relação à fruticultura, Pio Guerra argumenta que, mesmo com números positivos, a atividade terá - como é habitual - um desempenho ainda mais expressivo nos próximos quadrimestres.
Os principais compradores do açúcar pernambucano foram países da África e do Oriente Médio, destacando-se Senegal (US$ 21,6 milhões) e Líbano (US$ 9,6 milhões). Enquanto que a maior parcela do álcool comercializado seguiu para o México (US$ 3,1 milhões) e para Colômbia (US$ 2,6 milhões).

As exportações da fruticultura ocorreram para diferentes destinos, dependendo dos produtos. As vendas para Espanha (US$ 10,8 milhões) e Holanda (US$ 9 milhões) representaram 81% do valor obtido com as exportações de manga. Já a uva teve como forte comprador os Estados Unidos (US$ 10,9 milhões). O levantamento feito pela Faepe é baseado em dados oficiais do governo brasileiro.

AÇÚCAR

As exportações de açúcar nesta safra (20/21) aumentaram 35% em volume, segundo informações do Sindicato da Indústria do Açúcar e do Álcool de Pernambuco (Sindaçúcar-PE). "Ocorreu um aumento das exportações pela desvalorização do Real e também porque muitos países começaram a fazer um estoque maior de açúcar para melhorarem os seus estoques por causa das incertezas da pandemia", resume o presidente do Sindaçúcar-PE, Renato Cunha.

O aumento da produção de açúcar foi de 1,4% no Estado. O que ocorreu foi que as usinas direcionaram uma parte maior do açúcar fabricado à exportação. A safra 20/21 foram produzidas 872 mil toneladas de açúcar e exportadas 425 mil toneladas, o que corresponde a 49% do total. Na safra passada (19/20), a produção de açúcar alcançou 860 mil toneladas, sendo exportadas 314 mil toneladas, o que significou 37% do total. "Muitos países investiram na compra de milho e sobretudo soja", comenta Renato. O açúcar também é uma commodity e foi valorizado no mcercado internacional. 

Em Pernambuco, a moagem da cana-de-açúcar geralmente começa em outubro e acaba em março.  Na atual safra, 13 usinas realizaram a moagem, sendo que 11 delas só fabricaram açúcar e duas apenas álcool. 

FAEPE/DIVULGAÇÃO
O presidente da Faepe, Pio Guerra, destaca a boa performance do setor sucroalcooleiro nas exportações de Pernambuco - FOTO:FAEPE/DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias