Vai pesar no bolso?

Cervejas da Ambev, como Skol e Brahma, vão ficar mais caras

A cervejaria diz que o aumento segue "a variação da inflação, variação de custos, câmbio e carga tributária"

Adige Silva
Adige Silva
Publicado em 28/09/2021 às 21:40
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Houve aumento no consumo abusivo de bebidas alcoólicas e no sedentarismo entre a população brasileira - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

*Com informações da Folha de S.Paulo

A cervejaria Ambev, que concentra que concentra 60% de participação de mercado no País e tem em seu portfólio as marcas Antartica, Brahma, Bohemia, Skol e Stella Artois, aumentou o preço de suas cervejas.

De acordo com donos de restaurantes, que receberam um comunicado da empresa, haverá aumento de 5% a 6% em chope e cervejas a partir da sexta-feira (1º). Outros comunicados enviados, e obtidos pela Folha de S.Paulo, falam de repasses já em vigor desde a segunda (27) ou a partir do próximo sábado (2).

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) confirmou o reajuste e afirmou que o aumento deve estar alinhado à inflação acumulada nos últimos 12 meses, que gira em torno de 10%.

No comunicado enviado, a Ambev afirma que o aumento vai seguir "a variação da inflação, variação de custos, câmbio e carga tributária". Ainda no documento, a empresa diz que "os reajustes podem variar entre regiões, marcas, embalagens e segmentos".

“Reforçamos o nosso compromisso com a competitividade das nossas marcas no mercado, visando sempre a boa performance do volume de vendas da indústria”, diz a empresa no comunicado.

Por meio de sua assessoria, a Ambev afirmou, à Folha, que se trata de um aumento natural, que ocorre todo ano. A empresa informou que houve reajuste no ano passado, mesmo em meio a pandemia. No entanto, neste caso, o aumento não atingiu as embalagens retornáveis.

Segundo a empresa, nesta ocasião, o aumento é generalizado, para diversas embalagens e marcas. A Ambev não informou, entretanto, a faixa do reajusta e disse que o aumento vêm ocorrendo desde as últimas semanas.

Comentários

Últimas notícias