CRISE

80% dos endividados brasileiros já tiveram alterações de humor por causa das dívidas, diz pesquisa

Levantamento feito pela empresa Acordo Certo mostra que as preocupações com dívidas estão alterando a saúde mental do brasileiro. O País está em crise econômica desde o último trimestre de 2014

Angela Fernanda Belfort
Angela Fernanda Belfort
Publicado em 13/11/2021 às 21:35
Notícia
WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Cerca de 80% dos endividados tiveram alterações de humor por causa das preocupações com as dívidas - FOTO: WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Leitura:

Depois de uma crise econômica que vem se arrastando desde o final de 2014, cerca de 80% dos brasileiros endividados apresentaram alterações de humor por causa das preocupações com dívidas, segundo uma pesquisa realizada pela empresa Acordo Certo - que faz a intermediação entre pessoas endividadas e empresas "parceiras". O levantamento diz que o aspecto financeiro está interferindo na saúde física e mental dos brasileiros. 

Segundo o levantamento, as principais preocupações dos endividados são: não conseguir prover o básico para a família, ficar sem pagar as contas ou ter o nome sujo. E essas preocupações não afetam minorias. No começo deste mês, os endividados representavam 74,6% das famílias brasileiras, como indicaram os números da Confederação Nacional do Comércio (CNC).

O estudo também mostra que há uma alteração da rotina por causa das preocupações com as dívidas.  Os entrevistados citaram alguns dos sintomas mais comuns: insônia (em 76% dos casos), crise de ansiedade (74%), baixa produtividade (66%) e discussões no lar (62%).

A maioria dos endividados (56%) relataram ter dívidas no cartão de crédito, que cobram juros abusivos no Brasil, mas são legais. Para sair desta situação, as dicas da empresa que fez o estudo são: ter calma, se planejar, tentar negociar as dívidas, ser realista e montar uma reserva financeira. E, se perceber que a saúde mental está comprometida, deve procurar ajuda psicológica. 

O estudo foi realizado baseado em entrevistas realizadas com mais de 1.200 consumidores nos meses de julho e agosto deste ano. 

Comentários

Últimas notícias