ESTAGNAÇÃO

PIB recua 0,1% no 3º trimestre de 2021, e Brasil entra em recessão técnica

O resultado foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (2)

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 02/12/2021 às 9:12
Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Em relação a igual período de 2020, o PIB cresceu 4,0% - FOTO: Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Leitura:

O Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil recuou 0,1% no 3º trimestre de 2021, na comparação com o segundo trimestre, quando caiu 0,4% — a informação inicial foi de -0,1%, mas o IBGE revisou agora. Os dados são do Sistema de Contas Nacionais Trimestrais, divulgados nesta quinta-feira (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Com o resultado, o país entra na chamada recessão técnica, termo que define dois trimestres consecutivos de queda na atividade, e mostra que o caminho para a recuperação econômica será bem mais lento que o esperado.

Com o avanço da vacinação contra a covid-19 e o aumento da circulação de pessoas, havia entre economistas, governo e a população em geral, a expectativa de que a economia brasileira voltasse a crescer em ritmo mais rápido, no entanto, ela estagnou.

Segundo o IBGE, apesar da alta de 1,1% nos serviços, que respondem por mais de 70% do PIB nacional, o índice foi influenciado para baixo principalmente por conta da queda de 8,0% na agropecuária e também pelo recuo de 9,8% nas exportações de bens e serviços. Já a indústria ficou estável (0,0%).

O recuo na agropecuária (-8,0%) foi consequência do encerramento da safra de soja, que também acabou impactando as exportações. A coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis, explica que a colheita da soja, por ser muito mais concentrada nos dois primeiros trimestres, impacta no resultado.

“Como ela é a principal commodity brasileira, a produção agrícola tende a ser menor a partir do segundo semestre. Além disso, a agropecuária vem de uma base de comparação alta, já que foi a atividade que mais cresceu no período de pandemia e, para este ano, as perspectivas não foram tão positivas, em ano de bienalidade negativa para o café e com a ocorrência de fatores climáticos adversos na época do plantio de alguns grãos”, relaciona Palis.

Patamar pré-pandemia

O PIB está no patamar do fim de 2019 e início de 2020, período pré-pandemia, e ainda está 3,4% abaixo do ponto mais alto da atividade econômica na série histórica, alcançado no primeiro trimestre de 2014. Em valores correntes, o PIB atingiu R$ 2,2 trilhões no terceiro trimestre, sendo R$ 1,9 trilhão em Valor Adicionado (VA) a preços básicos e R$ 334,3 bilhões em Impostos sobre Produtos líquidos de Subsídios.

Em relação a igual período de 2020, o PIB cresceu 4,0%. No acumulado do ano até o mês de setembro, o PIB brasileiro apresenta avanço de 5,7% em relação a igual período de 2020. 

Comentários

Últimas notícias