futebol e política

Raí critica Bolsonaro e diz que não é momento para retomar futebol no Brasil

Ex-jogador e atual diretor do São Paulo, Raí não quis polemizar, mas criticou cenário no País

Agência Estado
Agência Estado
Publicado em 03/06/2020 às 8:49
Notícia
EVARISTO SA/AFP
Ex-jogador criticou postura de Bolsonaro no enfrentamento da covid-19 - FOTO: EVARISTO SA/AFP
Leitura:

Atual diretor de futebol do São Paulo, Raí concedeu entrevista à rádio francesa RFI e disse que não é favorável ao retorno do futebol no Brasil neste momento por conta do crescimento dos casos de infecção pela covid-19. O ex-jogador também criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro e o autoritarismo que vem ganhando força no País.

Raí falou sobre a situação da pandemia no novo coronavírus no Brasil e como os clubes estão ignorando a curva ascendente da doença. "Ainda não. Alguns clubes estão preparando seus protocolos sanitários, mas enquanto o número de vítimas estiver aumentando seria difícil ver a retomada do futebol. Além disso, vários estádios, como o Pacaembu, abrigam hospitais de campanha. Dirigentes, como eu, tentam planejar um retorno, mas não enquanto vidas estão em perigo. Somente quando tudo estiver sob controle", afirmou.

Mais críticas ao governo 

Raí criticou as ações de Bolsonaro no enfrentamento da pandemia da covid-19 e reforçou a sua posição favorável à democracia. "Atualmente, estamos enfrentando uma crise política, em que a democracia e os valores humanos estão sendo discutidos. O limite também, do autoritarismo. Em uma democracia, precisamos do Congresso, do Supremo Tribunal Federal e de um poder executivo. Minha postura é em favor da democracia. Não me envolvo com polêmicas, mas quando vejo tanta injustiça social, que vidas estão ameaçadas pelo vírus, eu falo. O presidente foi eleito democraticamente, mas você precisa ouvir a ciência, os especialistas e não colocar em risco a vida das pessoas", disse

 

Ídolo no Paris Saint-Germain, onde jogou nos anos 90, Raí falou ainda sobre Neymar, o atual craque do clube francês. "Ele tem o potencial para ser o número 1 do mundo, tem qualidades técnicas incríveis. Mas é impossível ganhar algo sozinho. Se o time crescer, Neymar será o maior", opinou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias