HISTÓRIA

Tempo é combustível para Lewis Hamilton, LeBron James e Rafael Nadal

Astros do esporte mundial se destacam por conquistas históricas mesmo com a idade já avançada

LOURENÇO GADÊLHA
LOURENÇO GADÊLHA
Publicado em 18/10/2020 às 9:02
Notícia

BRYN LENNON/AFP
Hamilton está a uma vitória de igualar o recorde do alemão Michael Schumacher - FOTO: BRYN LENNON/AFP
Leitura:

Quanto mais velho, melhor. A célebre frase atribuída a qualidade dos vinhos parece se encaixar perfeitamente ao desempenho de três atletas de diferentes esportes que continuam ganhando títulos e quebrando recordes, mesmo com a idade mais avançada. O último domingo estará reservado para sempre como uma data que registrou três momentos épicos na história do esporte mundial.

No mesmo dia, Lewis Hamilton venceu o grande prêmio da Alemanha e se igualou a Michael Schumacher em número de vitórias na F1; LeBron James levou o Los Angeles Lakers ao 17º título da NBA dez meses após a morte do ídolo do clube Kobe Bryant e Rafael Nadal conquistou o seu 13º título de Roland Garros, se igualando a Roger Federer em número de grand slam (20).

Lewis Hamilton

Com o triunfo do último domingo no Grande Prêmio de Eifel, que é disputado no circuito de Nürburgring, na Alemanha, o piloto inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, chegou à marca de 91 vitórias na Fórmula 1, igualando o recorde do lendário Michael Schumacher. Aos 35 anos, o piloto deu mais um passo rumo ao sétimo título da carreira, onde também poderá igualar o número de conquistas do alemão. Depois da corrida, ainda no pódio, Lewis recebeu uma réplica do capacete de Michael Schumacher. O presente foi dado por Mick Schumacher, filho de Michael e piloto reserva da Alfa Romeo.

 

Recordista de poles, com 96, Hamilton tem tudo para terminar a temporada com seu sétimo título, além da chance de ampliar a vantagem em relação a outros recordes que Schumacher possuía. Além disso, o inglês detém outros recordes, como o de maior número de pontos na carreira (3 636), o maior número de pole positions (96), o maior número de pódios (159), o maior número de Grand Chelem em uma temporada (3) e o maior número de pontos em uma temporada (413).

LeBron James

Em uma das temporadas mais complexas da NBA devido às restrições impostas pela pandemia do novo coronavírus, onde os atletas tiveram que ficar três meses isolados na Disney World, o norte-americano LeBron James voltou ao topo do basquete conduzindo os Los Angeles Lakers à glória máxima na competição. Aos 35 anos, o King James conquistou o quarto título em 10 finais disputadas, sendo este com a terceira equipe diferente. Além disso, o ala conquistou pela quarta vez o prêmio de jogador mais valioso (MVP) das finais. LeBron é o único a ter conquistado quatro prêmios com três times diferentes, depois das conquistas com o Miami Heat (2012 e 2013) e Cleveland Cavaliers (2016).

 

O título serve também para pôr fim às dúvidas a todos que subestimaram King James quando assinou com os Lakers em 2018. Sob o comando do astro, o time voltou a conquistar a NBA depois de 10 anos e calou os críticos, que afora reacenderam as comparações com o lendário Michael Jordan sobre quem é o melhor de todos os tempos na modalidade. Independente do posto de número 1, LeBron James segue fazendo história mesmo aos 35 anos para o delírio dos fãs.

Rafael Nadal

Por fim, o espanhol Rafael Nadal sagrou-se campeão pela 13ª vez em Roland Garros quando bateu no último domingo o sérvio Novak Djokovic por 3 sets a 0, igualando a marca histórica de 20 conquistas do suíço Roger Federer em torneios de Grand Slam, que são os mais importantes do circuito profissional de tênis (Roland Garros, US Open, Aberto da Austrália e Wimbledon). Além disso, a vitória na final foi a 100ª da carreira do espanhol em Roland Garros. Com isso, Nadal se tornou o primeiro tenista da história a vencer cem partidas no saibro de Paris, onde é considerado o número naquela quadra.

 

Aos 34 anos, o espanhol segue atingindo números expressivos. A vitória sobre Djokovic foi a 26ª consecutiva em Roland Garros, onde foi campeão nas últimas quatro edições. Por outro lado, este foi o quarto título de Nadal na competição sem ter perdido nenhum set na França (2008, 2010, 2017 e 2020. Para fechar o ciclo de marcas históricas alcançadas no último domingo, o espanhol se tornou o único a vencer o mesmo torneio por 13 vezes, fato que nunca aconteceu nos níveis de disputa do circuito profissional de tênis.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias