ENTREVISTA

"Meu único erro foi trair minha mulher", diz Robinho em entrevista, após condenação por violência sexual

O jogador deu uma entrevista pouco esclarecedora ao UOL nessa sexta-feira

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 17/10/2020 às 12:55
Notícia

Santos/ divulgação
Santos foi duramente criticado pela contratação de Robinho. - FOTO: Santos/ divulgação
Leitura:

Em entrevista exclusiva ao UOL nessa sexta-feira (16), o jogador Robinho falou de forma pouco clara sobre o seu envolvimento em um caso de estupro coletivo ocorrido em Milão, na Itália. O atacante, que foi condenado em primeira instância por violência sexual, tentou se defender dizendo que seu "único erro foi ter traído a esposa" e foi interrompido diversas vezes por seus advogados. Trechos da sentença foram vazados nessa sexta, gerando revolta nas redes sociais, pressão de patrocinadores e, por fim, suspensão de contrato com o Santos.

» Após divulgação de gravações e pressão, Santos suspende contrato de Robinho

» Defesa de Robinho fala em 'equívoco de interpretação' e nega violência sexual

» Caso Robinho: 'Estou rindo porque não estou nem aí, ela estava bêbada', diz o jogador, em gravação

Em outros trechos da entrevista, na qual o jogador pouco falou durante 40 minutos, Robinho diz que "há mulheres que nem são mulheres de verdade" e que "infelizmente, tem esse movimento feminista aí (sic)." Durante a conversa, o atacante estava acompanhado da advogada Marisa Alija, de um assessor de imprensa, um advogado criminalista e dirigentes do Santos, que suspendeu o contrato com o jogador após os desdobramentos mais recentes do caso.

Aos jornalistas, Robinho negou ter participado do estupro coletivo, mas admitiu que houve contato físico com a mulher que o acusa. "Ela tocou em mim, eu toquei nela, por cerca de 15 minutos, mas não houve relação sexual, penetração, nada disso. Então, eu fui para casa e, no dia seguinte, meus amigos contaram que haviam tido relação sexual com ela. Com o consentimento dela". Pouco depois, no entanto, o jogador afirmou estar presente no momento em que os colegas se envolveram com a vítima. 

A reportagem do UOL relatou que a equipe tentou controlar e conduzir as perguntas, dando coordenadas ao jogador sobre como responder os questionamentos. Em determinado ponto, Robinho fala que não pode dar maiores explicações, porque o caso está em segredo de Justiça. "Olha, eu gostaria de te dar uma entrevista de forma mais ampla e explicar exatamente o que aconteceu. Mas como isso está em segredo de Justiça, não posso falar exatamente. Gostaria muito de falar, mas pode ser que isso me prejudique", insiste o jogador. "Tenho que dar uma entrevista meio que... Os advogados falam que não posso falar."

Robinho é acusado de envolvimento em um estupro coletivo envolvendo cinco homens e uma mulher albanesa de 23 anos. O crime aconteceu em Milão, na Itália. O brasileiro foi condenado em primeira instância a nove anos de prisão pelo crime. A decisão do Tribunal de Milão ainda não é definitiva e é alvo de contestação da defesa do jogador.

Saída do Santos

Depois da pressão de patrocinadores e torcedores, o Santos optou por encerrar o contrato com o atacante Robinho. O clube divulgou na noite desta sexta-feira (16) uma nota informando que suspendeu a validade do contrato com o jogador. 

Pelas redes sociais, Robinho também fez o anúncio. "Com muita tristeza no coração, venho falar para vocês que tomei a decisão junto do presidente de suspender meu contrato neste momento conturbado da minha vida. Meu objetivo sempre foi ajudar o Santos Futebol Clube. Se de alguma forma estou atrapalhando, é melhor que eu saia e foque nas minhas coisas pessoais. Para os torcedores do Peixão e aqueles que gostam de mim, vou provar minha inocência", disse o jogador. Veja a declaração do jogador em vídeo produzido pelo canal de streaming Danz.

A condenação por estupro em 1ª instância na Itália ganhou enorme repercussão nos últimos dias e a pressão dos patrocinadores aumentou bastante. Muitas empresas que estampam suas marcas na camisa do Santos já avisaram que, se o contrato com o atacante não fosse rescindido, o patrocínio seria retirado. 

Gravações vazadas

Nesta sexta, uma reportagem do site GE.com revelou detalhes da sentença condenatória que deixaram o jogador em situação mais delicada. Transcrições de interceptações telefônicas realizadas com autorização judicial mostraram que Robinho revelou ter participado do ato que levou uma jovem de origem albanesa a acusar o jogador e amigos de estupro coletivo, em Milão, na Itália. Em 2017, a Justiça italiana se baseou principalmente nessas gravações para condenar o atacante em primeira instância a nove anos de prisão.

» Defesa de Robinho fala em 'equívoco de interpretação' e nega violência sexual

De acordo com a investigação, Robinho e outros cinco amigos, incluindo Ricardo Falco, que também foi condenado, levaram a mulher ao camarim de uma boate chamada Sio Café, em Milão, e lá abusaram sexualmente dela. O caso aconteceu em 22 de janeiro de 2013, quando o atleta defendia o Milan. Os outros suspeitos deixaram a Itália ao longo da investigação, e por isso a participação deles no ato é alvo de outro processo.

 

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias