80 ANOS DO REI

Pelé chega aos 80 anos com marca crescendo e contagiando gerações

De revistas até jogos de videogame, marca Pelé segue contagiando os apaixonados pelo futebol

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 24/10/2020 às 9:09
Notícia

ACERVO ESTADÃO CONTEÚDO
Pelé completa 80 anos nesta sexta-feira (23) - FOTO: ACERVO ESTADÃO CONTEÚDO
Leitura:

Além de ser o eterno rei do futebol, Pelé também conseguiu grandes feitos fora dos gramados durante esses 80 anos. A sua marca, por exemplo, é um deles. Desde garoto, quando apareceu para o mundo, recebia prêmios pelos seus feitos dentro das quatro linhas. Depois, já aposentado, também virou um símbolo valioso, seja com o 'Pelézinho' em revistas, ou até mesmo entrando no mundo da tecnologia, sendo o principal jogador da franquia Fifa, tendo a melhor pontuação de um jogador na edição 20 do game.

PRÊMIOS NO INÍCIO DA CARREIRA

Aos 16 anos, o garoto do Santos ganhou um fusca, presente em que ele ficou bastante empolgado para receber, como contou o seu amigo e companheiro de time Pepe em entrevista à Revista Placar. Na mesma edição da revista, que é a especial de 40 anos, lançada em 2010, Pelé também dá um depoimento para lá de curioso. Em conversa com o craque Neymar, que na época tinha explodido no Santos, o rei conta um presente que ganhou depois da Copa de 1958,

Segundo Pelé, o prefeito de Bauru prometeu que daria um carro para ele depois da Copa de 1958. No Mundial daquele ano, inclusive, o rei faz a sua estreia em Copas, com apresentações fantásticas, gols lendários e, claro, o título. No total, foram seis tentos marcados pelo eterno camisa 10. No entanto, o prêmio que recebeu do político foi aquém do que ele esperava. Pelé relatou à Placar que recebeu uma romiseta, um carro para apenas duas peças, e não o conversível que o rei do futebol estava esperando.

Outro presente que Pelé ganhou depois da Copa do Mundo de 1958 foi uma bicicleta, entregue pela marca Caloi. Trazendo um paralelo com Neymar, principal jogador brasileiro da atualidade, o craque ganhou um volvo ao completar 18 anos, em 2010, quando já era protagonista do Santos. Essa comparação, claro, evidencia realidades diferentes da publicidade e do marketing no futebol, e também como essas atividades foram evoluindo ao longo dos anos.

Outra frustração da marca Pelé no pós Copa do Mundo de 1958 foi com um lançamento de um aguardente com o nome do jogador. Era uma homenagem, mas o produto não foi bem aceito, e por conta disso, foi retirado de venda, tornando-se um item raro de colecionador.

CONSOLIDAÇÃO COMO UMA GRANDE MARCA

Mesmo num contexto em que não existia o marketing esportivo naquela época, relatos ao longo do tempo mostram que Pelé já trabalhava nisso durante a sua carreira. Ele, aliás, se consolida como um grande produto nos anos 1960. Para muitos, foi o primeiro nome brasileiro a realmente abraçar essa atividade enquanto jogava, aliando o bom desempenho técnico dentro de campo com contratos fora dos gramados.

Prova disso é que nos anos 1970, já consolidado como essa marca, foi além dos gramados. Encenou novelas, lançou discos e, além disso, fez uma parceria com o cartunista Maurício de Souza para a criação do Pelézinho, personagem eternizado em jornais e revistas. Com a sua aposentadoria em 1977, a marca Pelé cresceu ainda mais com o passar dos anos, sendo protagonista por onde passa. Pelé, inclusive, chegou a ser até executivo da Warner depois da aposentadoria.

MARCA PELÉ SÓ CRESCE

Nas últimas duas décadas, a marca estava sob os direitos do empresa brasileira Prime Licenciamentos. No entanto, o empresário Paulo Kemsley negociou a compra da Prime e unificou os direitos globais da marca Pelé com a Legends 10. Desde 2009, aliás, a empresa Sports 10 é quem tem os direitos de imagem do Rei. Todos assuntos que envolvem o eterno camisa 10 são tratados pelo norte-americano Joe Fraga, CEO da Sports 10.

Em uma matéria publicada pelo UOL Esporte, Joe Fraga explica como vem cuidando da carreira do Rei. Segundo o CEO, o trabalho requer toda atenção, desde o filtro de pautas, saber como Pelé está de saúde e até mesmo vislumbrar se aquele evento vai ser benéfico para o eterno camisa 10, que completou 80 anos na última sexta-feira. Além disso, Joe Fraga também afirmou que Pelé uma pessoa bem adaptável, e que a marca conseguiu ter êxito durante a pandemia do coronavírus justamente por conta disso.

As redes sociais de Pelé, por exemplo, são bem ativas, o que enriquece ainda mais a divulgação da marca. É bem comum, inclusive, que a maioria das postagens do Rei sejam feitas usando duas legendas: uma em português e outra em inglês. Desta forma, o eterno camisa 10 consegue dialogar não apenas com os brasileiros, mas também expandindo seus feitos ao longo da carreira e a sua vida pessoal para aqueles que estão fora do Brasil.

No jogo da franquia Fifa, por exemplo, a marca de Pelé também está presente. Quem joga o game pode controlar o ex-jogador na sua melhor versão, que é de overall 99 e que remete ao Pelé que disputou a Copa de 1970, o que para muitos é a melhor versão do Rei. Aos 80 anos e com muita saúde, a tendência é de que o Rei do futebol siga expandindo ainda mais a sua marca, contagiando os mais novos que vão descobrindo quem foi o maior de todos os tempos e, claro, os mais velhos que ficam entusiasmados cada vez que falam sobre Pelé.

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias