SPIDER

Relembre as 10 vitórias mais marcantes da carreira de Anderson Silva

O brasileiro é tido por muitos como um dos maiores lutadores de todos os tempos no MMA

LOURENÇO GADÊLHA
LOURENÇO GADÊLHA
Publicado em 30/10/2020 às 8:04
Notícia

Divulgação
"Me preparei para lutar minha vida inteira, mas, sim, essa é a a minha última luta no UFC", declarou Anderson Silva - FOTO: Divulgação
Leitura:

Um dos maiores lutadores de MMA de todos os tempos, o brasileiro Anderson Silva, ex-campeão do peso-médio (até 84 kg), prepara-se para encerrar a vitoriosa carreira neste sábado, em luta contra o jamaicano Uriah Hall, no UFC Fight Night 181. O embate vai marcar a despedida de Anderson das artes marciais mistas e também do UFC, organização que defende há 14 anos.

Aos 45 anos, o Spider, como é conhecido, começou a carreira dentro do MMA em 1997 e passou por eventos e organizações como o Mecca, Shooto, Pride, Cage Rage, até chegar ao UFC em 2006. Ao longo dos pouco mais de 23 anos de carreira, Anderson Silva acumulou vitórias emblemáticas, que ficaram para sempre marcadas na memória dos torcedores brasileiros e mundial.

PRINCIPAIS LUTAS DO SPIDER:

 

PRIMEIRO TÍTULO MUNDIAL

O primeiro grande embate de Anderson foi ainda antes do UFC. De acordo com o próprio lutador, sua grande luta foi no ano de 2001, contra Hayato Sakurai, no Shooto, valendo o título mundial. Na ocasião, a vitória resultou no primeiro cinturão conquistado pelo brasileiro na carreira. Por isso, de acordo com Anderson, aquela foi a grande luta da carreira. O título na época era válido pelo peso-médio, para quem pesava até 76 kg, diferente dos 84 kg hoje no UFC. Anderson venceu o japonês por decisão unânime dos juízes e iniciou a trajetória de sucesso no mundo das lutas. Duas lutas depois, ele migrou para o Pride, evento que ficou conhecido como o maior do mundo no vale-tudo até a chegada do UFC em 2006.

ESTREIA NO UFC

Na primeira luta no UFC, no ano de 2006, Anderson Silva estreou contra o americano Chris Leben, no UFC Fight Night 5, nos Estados Unidos. Na luta, o brasileiro deu seu cartão de visitas e finalizou a luta em 50 segundos, massacrando o adversário desde o início com golpes e chutes no rosto, encerrando o confronto com uma joelhada. Essa foi a luta mais rápida de sua carreira.

PRIMEIRO CINTURÃO NO UFC

Após o triunfo sobre Chris Leben, a organização do UFC abriu uma enquete no seu próprio site para decidir o próximo oponente de Anderson Silva. Ao fim da votação, foi escolhido o então campeão dos pesos médios, Rich Franklin. Seria, portanto, a primeira disputa de cinturão do brasileiro no UFC. Anderson subiu no octógono no dia 14 de outubro de 2006 e conquistou uma vitória arrasadora no UFC 64. Com um vasto repertório de golpes como joelhadas e chutes, o Spider prendeu Franklin em seu clinch e derrubou o campeão aos três minutos e cinquenta e três segundos do primeiro round.

PRIMEIRA DEFESA DE CINTURÃO NO UFC

Depois de conquistar o cinturão dos pesos médios, Anderson Silva voltou ao octógono contra Travis Lutter em 3 de fevereiro de 2007. Na ocasião, entretanto, o americano se apresentou acima do peso e a luta não valeu o título. A título de curiosidade, o brasileiro venceu a luta. Por isso, a primeira defesa aconteceu de fato no dia 7 de julho de 2007, no UFC 73, quando o Spider lutou contra Nate Marquardt e manteve o título após vencer o adversário com um nocaute técnico no final do primeiro round.

REVANCHE CONTRA RICH FRANKLIN

Anderson lutou uma revanche de defesa do título contra Rich Franklin três meses depois de vencer Marquardt. No dia 20 de outubro, o brasileiro derrotou o americano em sua cidade natal, Cincinnati, com um nocaute técnico no segundo round. Anderson não só manteve o cinturão, como surpreendeu a todos com suas habilidades de trocação e de esquivar, que lhe rendeu o prêmio de nocaute da noite.

DAN HENDERSON

Depois da conquista e da defesa do cinturão dos médios, Anderson Silva lutou contra o campeão dos pesos médios no Pride e Strikeforce, Dan Henderson, em uma disputa que unificou os títulos do UFC e do Pride. Com uma atuação segura, o brasileiro derrotou Henderson com um mata-leão no segundo round do UFC 82. A vitória chamou atenção por Silva vencer o oponente de um modo onde o adversário tinha vantagem, já que o americano tinha participado das olímpiadas de 1992 e 1995 no estilo de luta greco-romana.

SUBIDA PARA OS MEIO-PESADOS

Anderson subiu para os meio-pesados em julho de 2008, com vitória sobre James Irvin. Mas a grande luta na categoria foi no UFC 101, contra o ex-campeão Forrest Griffin. Com uma performance extremamente dominante, Silva chegou a brincar com o adversário, quando o derrubou e esperou levantar. Ainda no primeiro assalto, o brasileiro chegou a baixar a guarda e com um golpe espetacular, nocauteou Griffin, que caiu no chão e disse não ter mais condições de lutar.

PRIMEIRO EMBATE CONTRA UM BRASILEIRO NO UFC

No UFC 112, em Abu Dhabi, Anderson Silva iria enfrentar Vitor Belfort, que acabou se machucando. Por isso, o também brasileiro Demian Maia o substituiu contra o Spider. Durante o embate, Silva venceu por decisão unânime dos juízes, mesmo com críticas da torcida, que o acusou de não ter partido para cima de Maia como se comportava em outras lutas. Anderson chegou a se desculpar com Dana White devido ao desempenho abaixo do esperado, já que a luta foi casada e promovida como um dos maiores eventos da história do UFC na época.

O MAIOR ARQUIRRIVAL

Já estabelecido como um dos maiores lutadores da organização, Anderson Silva aceitou o desafio do falastrão americano Chael Sonnen. Ambos se enfrentaram no UFC 117. E o adversário partiu para cima do brasileiro, com socos e quedas. Tudo indicava que Anderson perderia por pontos, já que havia sido golpeada mais vezes. A luta, inclusive, foi uma das que Silva mais apanhou em toda sua carreira. Ainda assim, ele encontrou forças e quando faltavam dois minutos, o brasileiro aplicou de maneira brilhante um triângulo com chave de braço, finalizando a luta contra Sonnen. Após a luta, o adversário testou positivo para substâncias dopamtez e como punição, só poderia enfrentar Anderson numa revanche depois de cumprir suspensão e vencer duas lutas seguidas. Ambos voltaram a se encontrar em 2012.

VITOR BELFORT

Antes de encontrar o americano, Anderson Silva entrou no octógono para enfrentar o também brasileiro Vitor Belfort, em luta que já devia ter acontecido no UFC 112. Na ocasião, Silva defendeu o cinturão no UFC 126, em Las Vegas, quando nocauteou Belfort aos quatro minutos, com um chute frontal no queixo. O golpe foi tão avassalador que conquistou o prêmio de nocaute da noite e, posteriormente, do ano.

REVANCHE CONTRA O ARQUIRRIVAL E A ÚLTIMA GRANDE LUTA

A última grande luta de Anderson Silva antes das derrotas para Chris Weidman foi justamente na revanche contra seu arquirrival Chael Sonnen, no UFC 148, no dia 7 de julho de 2012. O encontro foi recheado de emoções, já que na pré-luta o americano soltou diversas provocações a Silva e ao povo brasileiro. Mesmo iniciando melhor do que Anderson, inclusive repetindo parte do repertório de ataques da primeira luta, o brasileiro conseguiu mais uma vez reverter a situação e dar seu show. No segundo assalto, Sonnen tentou conectar um soco giratório, mas Anderson esquivou-se de forma brilhante, com o adversário caindo próximo a grade. O brasileiro não desperdiçou a oportunidade e soltou uma joelhada, acompanhada de vários socos, finalizando a luta. Ao fim, Anderson Silva desabafou sobre as provocações de Sonnen, alegando que o adversário desrespeitou o Brasil.


 

Seja um assinante JC.

Assine o JC com planos a partir de R$ 1,90 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC Impresso e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.

Assine o JC

Comentários

Últimas notícias