Barça

Após ser detido em operação, ex-presidente do Barcelona fica em liberdade provisória

Josep Maria Bartomeu é investigado pelo escândalo "Barçagate", com supostas irregularidades na sua gestão

AFP
AFP
Publicado em 02/03/2021 às 11:57
Notícia

AFP
Josep Maria Bartomeu, ex-presidente do Barcelona, investigado no escândalo "Barçagate" - FOTO: AFP
Leitura:

O ex-presidente do Barcelona Josep Maria Bartomeu e seu braço direito, Jaume Masferrer, ficaram em liberdade provisória nesta terça-feira (2) depois de uma audiência na justiça, um dia depois da detenção pelo escândalo 'Barçagate', informou o tribunal. Os dois investigados por uma suposta campanha de difamação nas redes sociais contra opositores de Bartomeu "passaram à disposição judicial, invocaram o direito de não dar declarações e magistrada concedeu a liberdade provisória", afirma o comunicado do tribunal de Barcelona.

Os dois ex-dirigentes do clube passaram a noite em uma delegacia da capital da Catalunha. O processo começou em maio de 2020 por "delitos de administração desleal e corrupção nos negócios" e continua "aberto", razão pela qual as investigações prosseguem, destacou o comunicado.

 

De acordo com uma fonte próxima ao caso, também foram detidos e posteriormente colocados em liberdade o diretor geral do clube, Oscar Grau, e o diretor jurídico, Román Gómez Ponti. Todas as detenções aconteceram na segunda-feira e foram executadas pela polícia regional catalã, que também realizou operações de busca na sede do Barcelona.

O 'Barçagate', revelado em 2020 pela rádio Cadena Ser, consistiu na contratação de uma empresa para supostamente organizar uma campanha de difamação nas redes sociais contra opositores de Bartomeu e astros como Lionel Messi ou Gerard Piqué. De acordo com a rádio, o Barça teria pago um milhão de euros (1,2 milhão de dólares) para supostamente evitar os controles internos da I3 Ventures, da qual desvinculou após o escândalo.

A antiga direção do Barcelona admitiu ter contrato a empresa, mas negou a campanha de difamação. O caso provocou uma crise institucional no clube. Bartomeu e o que restava de sua diretoria renunciaram no fim de outubro, antes da destituição por uma moção de censura. No próximo domingo acontecerá a eleição para definir o o novo presidente do Barça.

Comentários

Últimas notícias