TÓQUIO

A 100 dias das Olimpíadas, coronavírus alimenta temores

A persistência da pandemia, inclusive no Japão, atrapalha os preparativos para os Jogos e alimenta a incerteza quanto à possibilidade, e oportunidade, de organizar o evento este ano (previsto para 23 de julho a 8 de agosto).

Marcos Leandro
Marcos Leandro
Publicado em 13/04/2021 às 20:49
Notícia
AFP
Diversos eventos-teste para a Olimpíada tiveram que ser cancelados - FOTO: AFP
Leitura:

AFP

A tocha olímpica atravessa atualmente o Japão e atletas de todo o mundo intensificam seus treinos para os Jogos de Tóquio, mas a 100 dias do evento, nesta quarta-feira (13), os organizadores ainda enfrentam desafios monumentais.

A persistência da pandemia, inclusive no Japão, atrapalha os preparativos para os Jogos e alimenta a incerteza quanto à possibilidade, e oportunidade, de organizar o evento este ano (previsto para 23 de julho a 8 de agosto).

Eventos-teste de diferentes modalidade foram adiados, o revezamento da tocha olímpica foi reduzido ao mínimo e novas restrições sanitárias estão em vigor em Tóquio e outras cidades japonesas.

Apesar de tudo, o tom dos organizadores e dos dirigentes olímpicos é de confiança, suas declarações públicas se concentram mais na forma como os Jogos vão acontecer.

Eles têm motivos para estar otimistas: o revezamento da tocha olímpica começou em Fukushima (nordeste) no mês passado (embora os espectadores tenham sido impedidos de comparecer à largada e à primeira etapa), e as campanhas de vacinação começaram em muitos países, enquanto algumas equipes olímpicas já foram vacinadas.

O Japão não exige que os participantes dos Jogos sejam vacinados, mas o Comitê Olímpico Internacional (COI) incentiva a vacinação e obteve doses fabricadas na China para atletas de países que não tiveram acesso.

No Japão, os eventos esportivos continuam, com um número limitado de espectadores, e os torcedores já seguem as regras que serão aplicadas nos Jogos, principalmente a proibição de torcer.

Comentários

Últimas notícias