OLIMPÍADA

Custos, atletas, modalidades e instalações; veja alguns números da Olimpíada de Tóquio

Cerca de 11 mil atletas de mais de 200 países e territórios participarão dos Jogos Olímpicos de Tóquio

Marcos Leandro
Marcos Leandro
Publicado em 21/07/2021 às 15:13
Notícia
AFP
Olimpíada, que estava marcada para 2020 e foi transferida para este ano, começa na próxima sexta (23) - FOTO: AFP
Leitura:

Da Redação, com AFP

Os organizadores dos Jogos de Tóquio, que começam oficialmente na sexta-feira (23), têm lutado para cortar custos para realizar o maior evento esportivo do mundo após o surgimento do covid-19, embora alguns números continuem impressionantes. 

Veja alguns números do megaevento esportivo, que foi adiado de 2020 para 2021 por conta da pandemia da covid-19, que segue como ameaça aos Jogos. 

Marta faz história e comanda goleada do Brasil sobre a China na estreia em Tóquio

De Neymar a Usain Bolt: equipamentos de ídolos do esporte vão a leilão no Rio de Janeiro

Bruno Soares é diagnosticado com apendicite e está fora dos Jogos de Tóquio

14,8 bilhões de dólares

É o orçamento oficial das Olimpíadas no Japão, que inclui os pouco mais de 2,5 bilhões de dólares de custo extra pelo adiamento de um ano em decorrência da pandemia de covid-19 e das 'contra-medidas' tomadas para combater o coronavírus.

O saldo final, porém, deve ser ainda maior. Em 2019, a Comissão de Contas do Japão estimou que o orçamento oficial não incluiu os mais de 10,5 bilhões investidos pelo estado entre 2013-2018 para realização da competição.

15.490 atletas

Cerca de 11 mil atletas de mais de 200 países e territórios participarão dos Jogos Olímpicos, aos quais devem ser adicionados os 4.400 que vão competir nos Jogos Paraolímpicos.

Além disso, outras 50.000 pessoas (treinadores, assistentes, juízes, jornalistas, etc.) chegarão ao Japão do exterior, um número drasticamente reduzido em comparação com as previsões iniciais.

49% de mulheres

Pela primeira vez na história do evento olímpico, todos os esportes terão representantes femininas nesta edição em Tóquio, chegando a 49% do total de atletas (e pelo menos 40,5% nas Paraolimpíadas, um recorde).

Também pela primeira vez, o Comitê Olímpico Internacional (COI) estipulou que cada delegação nacional estaria representada no desfile de abertura por dois porta-bandeiras, um masculino e um feminino.

No entanto, o Comitê Organizador dos Jogos sofreu críticas no início do ano por um escândalo sexista provocado por seu ex-presidente, Yoshiro Mori, que deixou o cargo após declarar que as mulheres falavam demais durante as reuniões da entidade.

33 modalidades esportivas

As Olimpíadas no Japão terão 33 modalidades esportivas, entre as quais quatro aparecem pela primeira vez no programa olímpico: surfe, skate, escalada e caratê.

O beisebol e o softbol, esportes populares no país asiático, retorna aos Jogos depois de estar presente pela última vez em Pequim-2008. As modalidades também foram ampliadas em outros esportes, como BMX freestyle e basquete 3x3.

Já os Jogos Paralímpicos (24 de agosto a 5 de setembro) terão 22 modalidades esportivas, com a novidade do badminton e do taekwondo.

43 instalações

Tóquio-2020 possui 43 instalações olímpicas e paralímpicas, das quais 25 já existiam, outras 10 são provisórias e 8 foram construídas para a ocasião, incluindo o Estádio Olímpico, cenário das cerimônias de abertura e encerramento, da maioria das provas de atletismo e de alguns jogos de futebol.

Durante as competições, o ambiente será diferente do habitual em um evento como esse em função da decisão, de última hora, das autoridades japonesas de impedir a presença de público em quase todas as instalações devido ao aumento de casos de covid-19 no país.

Além disso, diversas provas serão realizadas fora de Tóquio: o ciclismo de estrada acontecerá no mítico Monte Fuji, a cerca de 100 km a oeste da capital, o surfe será disputado em uma praia 100 km a leste, enquanto a maratona e a marcha deslocaram 800 km ao norte, em Sapporo, para evitar o forte calor da metrópole japonesa.

Já os torneios de beisebol e softball serão realizados em Yokohama (sudeste de Tóquio) e Fukushima, no noroeste do país, região marcada pelo terremoto, tsunami e o consequente acidente de sua usina nuclear em 2011.

Nesta mesma região, no departamento de Miyagi serão disputados alguns jogos de futebol.

20.000 testes anticovid

Os organizadores dos Jogos de Tóquio estimam que cerca de 20.000 testes anticovid serão realizados diariamente durante o evento. Caso seja diagnosticado com o coronavírus, o atleta não poderá participar da competição e será imediatamente isolado ou internado, se necessário.

6,21 milhões de telefones

Pela primeira vez na história das Olimpíadas, as 5 mil medalhas que serão distribuídas no Japão foram feitas com materiais 100% reciclados, da recuperação de mais de seis milhões de telefones antigos e outros aparelhos eletrônicos.

Das mais de 79.000 toneladas recuperadas, foram extraídos 32 kg de ouro, 3.500 kg de prata e 2.200 kg de bronze.

160.000 preservativos

Embora os atletas tenham sido orientados a "evitar qualquer contato físico desnecessário" para impedir a disseminação da covid-19, os organizadores planejaram distribuir 160.000 preservativos gratuitamente ... após os Jogos.

Os atletas devem levar esses preservativos "para seus respectivos países" e usá-los em "campanhas de conscientização" na luta contra a Aids, explicaram os organizadores.

NAS REDES

Dois membros da delegação brasileira em Tóquio estão fazendo muito sucesso nas redes sociais. Douglas Souza, da seleção de vôlei, e a skatista Letícia Bufoni estão dando o que falar na Vila Olímpica e nas redes. Confira:

Comentários

Últimas notícias