skate

Esbanjando simpatia, Rayssa Leal, a fadinha, é a única representante do Brasil na final do street feminino na olimpíada

Nas eliminatórias, a maranhense ficou na terceira colocação geral.

Haim Ferreira
Haim Ferreira
Publicado em 25/07/2021 às 23:52
Notícia
COB
Maranhense de 13 anos é a atleta mais jovem a participar das Olimpíadas pelo Brasil. - FOTO: COB
Leitura:

Xodó da torcida brasileira, a skatista Rayssa Leal, a Fadinha, foi a única brasileira a se classificar para as finais do skate street nas Olimpíadas de Tóquio. Ela teve a terceira melhor pontuação geral da fase classificatória. Pâmela Rosa e Leticia Bufoni não alcançam Top-8 e estão eliminadas dos Jogos Olímpicos.

Na fase classificatória, a maranhense ficou na terceira colocação geral. Nas duas rodadas de manobras livres, a Fadinha teve notas de 3,29 e 2,01. Já na etapa de manobras únicas, Rayssa teve: 2,82; 0,0; 3,37; 3,37 e 5,5.

Esbanjando simpatia, a Fadinha mostrou total desconstração durante toda a prova. Com direito à dancinha de Tik Tok antes de descer para a pista, ela arrancou sorrisos de todos na arena montada em Tóquio. Ela também quebrou o gelo de Letícia Bufoni ao aguardar as notas da sua tutora.

A grande decisão acontece às 00h45.

Kelvin Hoefler garante a prata no masculino:

Kelvin Hoefler, do skate, ganhou a primeira medalha do Brasil nos Jogos de Tóquio e reforçou a expectativa que existe em torno dessa modalidade. Nas previsões mais otimistas, a delegação nacional poderá subir algumas vezes ao pódio e ter grande contribuição do skate no quadro de medalhas. Na madrugada do domingo, o skatista ficou com a medalha de prata na prova de street.

Na final, ele obteve 36,15. Só ficou atrás do japonês Yuto Horigome, com 37,18. O americano Jagger Eaton, com 35,35, conquistou o bronze. Os outros brasileiros na disputa foram Felipe Gustavo e Giovanni Vianna, que não avançaram para a final.

 

Comentários

Últimas notícias