OLIMPÍADA

Judô brasileiro sofre 2 derrotas e deixa Tóquio sem medalha na briga por equipes

A seleção brasileira de judô se despediu dos Jogos Olímpicos sem a terceira sonhada medalha. Na madrugada deste sábado (31), o Brasil caiu para a Holanda nas quartas de final e, na repescagem, que valia o prosseguimento na busca pelo bronze, foi superado por Israel

Marcos Leandro
Marcos Leandro
Publicado em 31/07/2021 às 3:37
Notícia
Franck FIFE / AFP
Mayra Aguiar integrou a equipe brasileira - FOTO: Franck FIFE / AFP
Leitura:

ESTADÃO CONTEÚDO

A seleção brasileira de judô se despediu dos Jogos Olímpicos de Tóquio sem a terceira sonhada medalha. Na madrugada deste sábado (31), o Brasil caiu para a Holanda nas quartas de final e, na repescagem, que valia o prosseguimento na busca pelo bronze, foi superado por Israel no Nippon Budokan, templo do judô. As lutas por equipes mistas são novidade no programa olímpico.

Veja lista atualizada dos brasileiros que ganharam medalha nas Olimpíadas de Tóquio 2020

Horários Olimpíadas 2020: veja as partidas e disputas deste sábado (31)

Na repescagem, o Brasil fez modificações na escalação em relação aos duelos das quartas. Daniel Cargnin (até 73 Kg), Rafael Macedo (até 90 Kg) e Rafael Silva (acima de 90 Kg) deram lugar a Eduardo Barbosa, Eduardo Yudy Santos e Rafael Buzacarini, respectivamente, mas a estratégia não deu resultado e os israelenses triunfaram por 4 a 2.

"Amargo pra caramba. Muito ruim perder. Nosso time treinou muito, cada um se esforçou muito e tenho certeza que todos deixaram tudo no tatame", lamentou, chorando, Mayra Aguiar. "Mas tem muita coisa pela frente. Nosso time é muito forte", prosseguiu a judoca, que havia garantido que fará o novo ciclo olímpico para estar em Paris-2024.

Medalha de bronze nessa mesma modalidade por equipes no último mundial e considerado um dos times mais fortes, o Brasil, portanto, deixa o Japão sem subir ao pódio. A participação na Olimpíada foi encerrada com dois bronzes, conquistados por Daniel e Cargnin e Mayra Aguiar.

MARIA PORTELA

Diante de Israel, apenas Maria Portela, que emocionou o País ao ser eliminada em um combate controverso na disputa individual até 70 kg há três dias, e Mayra Aguiar, a judoca, entre homens e mulheres, com mais medalhas na história do Brasil, saíram do tatame com vitória.

Eduardo Katsuhiro Barbosa saiu derrotado após receber três shidos por falta de combatividade; improvisado na categoria até 90 Kg, Yudy sofreu Ippon e perdeu para Li Kochman; Rafael Buzacarini tentou encaixar um golpe, mas teve o braço preso e perdeu por ippon; por fim, Larissa Pimenta viu a adversária emendar wazari com imobilização para fechar série com ippon e acabar com o sonho brasileiro de medalha na disputa por equipes mistas.

Antes, nas quartas, os judocas do País também foram superados por 4 a 2. Somente Daniel Cargnin (até 73 kg) e Mayra Aguiar (acima de 70 kg), curiosamente os dois que deram medalhas ao judô brasileiro em Tóquio, venceram seus combates. Ele aplicou wazari em Tornike Tsjakadoea no golden score, e ela, que entrou de última hora na disputa por equipes para substituir a lesionada Maria Suelen, quando estava com duas punições, perto de ser eliminada na prorrogação, encaixou um ippon sensacional e manteve o Brasil vivo.

Mas o sonho do judô brasileiro de avançar à semifinal foi sepultado com a derrota de Rafael Silva, o Baby (acima de 90 kg), que levou três shidos por falta de combatividade e perdeu em menos de dois minutos para Henk Grol. Antes disso, Larissa Pimenta (até 57 kg), Maria Portela (até 70 kg) e Rafael Macedo (até 90 kg) haviam sido derrotados.

Comentários

Últimas notícias