QUARTAS DE FINAL

Depois de vencer o Quênia, Brasil enfrentará velho rival nas quartas de final do vôlei feminino nas Olimpíadas

Brasileiras encerram a fase de grupos como única equipe invicta

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 02/08/2021 às 13:09
Notícia
LUIS ROBAYO / AFP
A vitória tranquila sobre o Quênia garantiu o primeiro lugar do Grupo A para as brasileiras. - FOTO: LUIS ROBAYO / AFP
Leitura:

Com agências

Depois de vencer o Quênia por 3x0 e com certa facilidade, o Brasil encerrou a fase de grupos do vôlei feminino nos Jogos de Tóquio como líder do Grupo A. Com isso, terá como adversário nas quartas de final o Comitê Olímpico Russo (COR), quartas colocadas do Grupo B após perder para a Turquia. A seleção brasileira encerrou invicta a fase classificatória, sendo a única equipe a conseguir este feito tanto no feminino quanto no masculino. 

A vitória brasileira sobre o Quênia teve parciais de 25/10, 25/16 e 25/8. A partida foi realizada na Arena de Ariake, na capital Tóquio. 

 

>> Entenda por que o jogador Lucão usa máscara durante os jogos da Seleção Brasileira de Vôlei nas Olimpíadas de Tóquio

>> Saiba quem é Yoandy Leal, o primeiro estrangeiro a defender o Brasil no vôlei

>> Dois modos distintos de lidar com as redes sociais; veja comportamentos diferentes de Douglas Souza e Thalles, da seleção de vôlei do Brasil

>> Em jogaço de vôlei entre Brasil e França, Lucão faz defesa até com o pé

A rivalidade entre Brasil e Rússia é considerada a maior do vôlei feminino mundial. Quando essas duas seleções se enfrentam, há sempre a expectativa de jogo bonito, intenso e com provocações. O duelo nas quartas de final de uma Olimpíada deixa tudo ainda mais disputado. A partida acontecer na quarta-feira (4), às 9h30. 

A vitória sobre o Quênia

Logo no início do jogo, o Brasil já abriu cinco pontos de vantagem (7 a 2). Na sequência, a distância ficou ainda maior, com o placar de 13 a 4. A superioridade das brasileiras foi até o final do set, que encerrou com 25 a 10 no marcador.

No segundo set, o Brasil manteve o ritmo, entretanto a seleção do Quênia chegou a ficar na frente do placar (2 a 1). Mas foi por pouco tempo, já que as comandadas pelo técnico José Roberto Guimarães viraram a partida e abriram vantagem de sete pontos (16 a 9). A segunda parcial encerrou com vitória de 25 a 16.

O terceiro e último set foi decidido com vantagem ainda maior em relação aos dois primeiros. O Brasil rapidamente conseguiu diferença elástica no marcador (11 a 3). Daí em diante, as brasileiras continuaram aumentando a vantagem, encerrando o jogo em 25 a 8.

Treinador pernambucano

O duelo com as quenianas também foi marcado pelo encontro com o treinador Luizomar de Moura, pernambucano natural de Caruaru e que tem uma longa trajetória no vôlei brasileiro. Ex-treinador do Osasco e das categorias de base do vôlei brasileiro, em abril Luizomar foi convidado pela Federação Internacional de Vôlei para comandar a seleção do Quênia. Após a partida, ele se emocionou junto com Camila Brait, Natália e Tandara, que foram suas atletas. 

Comentários

Últimas notícias