OLIMPÍADA

Saiba o que a Autoridade de Controle de Dopagem encontrou no exame de Tandara, jogadora de vôlei da seleção brasileira

A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) informou que a substância encontrada no exame antidoping de Tandara foi a Ostarina, pertencente a classe de agentes anabolizates

Marcos Leandro
Marcos Leandro
Publicado em 06/08/2021 às 12:24
NE10
Tandara foi cortada da seleção e retornou ao Brasil antecipadamente. - FOTO: NE10
Leitura:

ESTADÃO CONTEÚDO

A Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD) informou que a substância encontrada no exame antidoping de Tandara Caixeta, jogadora da seleção feminina de vôlei, foi a Ostarina, que é "uma substância não especificada, proibida em competição e fora de competição. Pertence a classe: S1.2 Agentes Anabolizantes - Outros Agentes Anabolizantes - SARMS da Lista de substâncias e métodos proibidos da AMA-Wada", disse a entidade.

Veja lista atualizada dos brasileiros que ganharam medalha nas Olimpíadas de Tóquio 2020

Brasil bate recorde de medalhas e também pode superar sua marca histórica de ouros em Olimpíadas

A atleta foi afastada da seleção, que nesta sexta-feira (6) venceu a Coreia do Sul e se classificou para a final dos Jogos de Tóquio-2020. Tandara já está retornando para o Brasil e vai passar pelos trâmites normais para fazer a sua defesa. A ABCD disse ainda que "o processo de controle de dopagem seguiu todos os padrões internacionais estabelecidos pela Agência Mundial Antidopagem (Wada, na sigla em inglês)".

O técnico José Roberto Guimarães até agora não entendeu o motivo de o resultado ter demorado quase um mês para ser anunciado e chegar na véspera de uma partida decisiva. "Eu recebi a notícia de madrugada e fiquei paralisado. Depois vi quais eram os procedimentos que deveríamos tomar. Eu tinha duas preocupações: ela e o grupo. Conversei com ela, que me disse que não tinha tomado nada e estava limpa, mas ela não podia ficar. Foi tenso comunicar o grupo, ela estava devastada", revelou o treinador.

QUANDO FOI O TESTE

O teste foi realizado fora do período de competição, em 7 de julho, no Centro de Treinamento da seleção em Saquarema (RJ). "Ao receber, no dia 5 de agosto de 2021, o resultado do Laboratório Brasileiro de Controle de Dopagem (LBCD), único credenciado pela Wada na América Latina, foi constatada a presença da substância Ostarina, que pelo Código Brasileiro Antidopagem implica na aplicação obrigatória de uma suspensão provisória da atleta", informou a ABCD.

A notícia do doping e saída de Tandara da equipe pegou todas as jogadoras desprevenidas. "Todo mundo foi pego de surpresa, mas somos um grupo. Estamos torcendo pela inocência dela e sabemos que ela vai dar força para gente de onde estiver. Jogaremos por ela", afirmou Carol Gattaz.

As atletas confirmaram que Tandara não teve tempo de se despedir do grupo, mas depois mandou uma mensagem para todas. "A gente vem passando por muitas situações que não importa o que aconteça, passamos por cima. A gente vai lutar por ela, vamos levar esse ouro para a Tandara", completou Gabi.

Comentários

Últimas notícias