Indefinição

Indefinição quanto a volta dos jogos afeta planejamento do Náutico

Nesta terça-feira (30), a Secretaria de Saúde divulgou que ainda não tem previsão para a volta dos jogos em Pernambuco

Fernando Castro
Fernando Castro
Publicado em 01/07/2020 às 18:39
Notícia
Léo Lemos/Náutico
"Ter a definição da data é fundamental para preparar os atletas", destacou Diógenes Braga - FOTO: Léo Lemos/Náutico
Leitura:

O cenário de indefinição quanto a volta dos jogos em Pernambuco tem causado preocupação nos Aflitos e afetado diretamente o planejamento da comissão técnica do Náutico. De acordo com o vice-presidente Diógenes Braga, a ausência de uma data para o reinício das competições compromete a dinâmica dos treinamentos no CT Wilson Campos e consequentemente a preparação do elenco. Nesta terça-feira (30), a Secretaria de Saúde do Estado divulgou que ainda não tem previsão para a volta das partidas oficiais.

"O nosso planejamento é baseado no início dos treinos e na data do primeiro jogo. Quando não tem a marcação do primeiro jogo, a preparação fica solta, sem a referência de como evoluir para que os atletas estejam na melhor condição possível. Não é simplesmente trabalhar, existe uma programação e isso o departamento físico sente bastante. Essa questão de quanto mais tempo melhor não necessariamente é verdadeira. Ter a definição da data é fundamental para preparar os atletas e o trabalho evoluir", explicou Diógenes Braga, em entrevista ao repórter Antônio Gabriel, para a Rádio Jornal.

Na última sexta-feira (26), o técnico Gilmar Dal Pozzo revelou que estava trabalhando com a possibilidade do time voltar a jogar no dia 5 de julho, data sugerida em protocolo divulgado pela Federação Pernambucana de Futebol (FPF). Agora, sem a liberação do Governo do Estado e sequer uma previsão para o reinício dos campeonatos, a comissão técnica do Náutico vai precisar encontrar soluções para adaptar a preparação física e técnica dos jogadores, que já treinam no CT Wison Campos há quase três semanas.

"Existem vários cenários que dificultam. Treinar não é simplesmente colocar os atletas para trabalhar na academia, dando voltas no gramado ou colocar um time contra outro e organizar. O futebol evoluiu, essas questões hoje são muito mais complexas. Por exemplo, o departamento físico do Náutico trabalha fazendo minutagem da atividade semanal dos atletas, isso é progressivo até chegar ao dia do jogo. Não se faz um treino aleatório, o Náutico investiu bastante na compra de GPS para se ter mais informações como distância percorrida e o tempo de trabalho", destacou Diógenes.

Além do Campeonato Pernambucano, o Náutico ainda aguarda uma definição para a volta da Copa do Nordeste, que será disputada em sede única por questões de segurança, para diminuir os riscos de contágio do novo coronavírus. A cidade onde os jogos vão ser disputados será definida pela CBF. Por fim, a Série B, principal objetivo do Timbu para a temporada, é a competição que tem o cenário melhor definido, já que tem previsão para iniciar no segundo final de semana de agosto.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias