timbu

Náutico precisa quebrar jejum de gols e vitórias na Série B

O Náutico não conseguiu vencer nenhum time na parte de cima da classificação da Série B. E tem mais um pela frente

Karoline Albuquerque
Karoline Albuquerque
Publicado em 11/10/2020 às 9:37
Notícia

Leitura:

Se o Náutico tinha como meta começar o Campeonato Brasileiro da Série B já mostrando uma briga pelo acesso, passou longe. E para se aproximar do G4 precisa mudar bastante de atitude. Em 14 jogos disputados (um a menos que as 15 rodadas), o Timbu venceu apenas três, empatou outros seis e já perdeu cinco. Foram apenas 13 gols marcados, sofrendo 16 e o pífio aproveitamento de 35,7%.

Isso tudo somado a um jejum de cinco jogos. A última vitória alvirrubra foi no dia 12 de setembro, há quase um mês, sobre o Botafogo-SP, por 2x1, nos Aflitos. De lá para cá, o Náutico empatou com a Chapecoense e com o Paraná e perdeu para Cuiabá, Confiança e América-MG. Todos os times em questão estão acima do Timbu na tabela de classificação. Só o time sergipano não briga pelo G4 ainda.

 

Essa dificuldade assombra o Náutico para a próxima rodada. Às 20h desta segunda-feira (12), a equipe recebe a Ponte Preta, que também briga lá em cima, com 24 pontos, no estádio dos Aflitos, pela 16ª rodada da Segundona. Para mudar o retrospecto, o técnico Gilson Kleina espera contar com o plantel completo.

"Vamos estar com todo o elenco disponível, um treino só, e pensar na Ponte Preta. Todos do Náutico precisam de apoio, não acusar e ver mais problemas onde estamos passando. Concentrar, foco para o jogo da Ponte Preta", disse o treinador.

Porém, outro incômodo para o Timbu é a falta de gols. A última vez em que o torcedor alvirrubro comemorou um tento do time foi no dia 18 de setembro, no empate, em casa, com a Chapecoense, na 10ª rodada. O autor daquele gol foi o atacante Kieza, aos 32 minutos do segundo tempo. Já se vão 410 minutos sem as redes balançarem em prol do Náutico.

A mudança de atitude é algo que martela na cabeça de Gilson Kleina para o futuro. "Não resta a menor dúvida de que precisamos retomar nosso melhor futebol. Já fizemos isso no campeonato e provamos que temos condições", prometeu o treinador alvirrubro. E a retomada é urgente, pois o Z4 está a um ponto de distância.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias