Timbu

Presidente do Náutico sobre Kevyn: "Reabrimos as portas para um atleta, que as fechou da pior forma"

O jogador voltou para o Timbu no fim do ano passado

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 23/02/2021 às 7:04
Notícia

BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Atual gestão de Edno começou em 2018 - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Após uma segunda-feira tumultuada nos bastidores dos Aflitos, o presidente Edno Melo se pronunciou sobre o caso do lateral-esquerdo Kevyn. Por meio da conta pessoal no Twitter, o mandatário alvirrubro deixou claro que o jogador não permanece no Timbu, mesmo que a situação seja revertida na Justiça. O atleta conseguiu a rescisão indireta do contrato alegando pagamentos atrasados, enquanto o clube frisou que o staff de Kevyn apresentou informações que não condizem com a verdade para conseguir a liminar judicial.

"Reabrimos as portas para um atleta, que as fechou da pior forma. Saberemos defender os interesses do clube na Justiça, como temos feito. E seguiremos com quem sabe defender a verdade e honrar as cores do nosso clube", afirmou o presidente do Timbu.

LEIA MAIS

Náutico nega que deve salários ao lateral-esquerdo Kevyn

Alegando atrasos salariais e não recolhimento de FGTS, Kevyn consegue liminar para rescindir com o Náutico

Após um ano parado, atacante do Náutico festeja retorno aos gramados em jogo-treino

Edno Melo ainda reiterou que o Náutico tem se baseado no princípio da austeridade desde o início da gestão. Ele também ressaltou os esforços da direção para manter os salários em dias e elogiou a postura dos demais atletas em relação aos assuntos que cercam o campo. Com a saída de Kevyn, o Timbu deve contratar um lateral-esquerdo.

"O Náutico tem sido, nestes últimos anos, um clube administrado com zelo e seriedade. Mesmo em tempos difíceis, como os atuais, com quedas drásticas nas receitas. Com muito esforço, mantivemos os salários dos nossos atletas em dia. E temos um grupo coeso, comprometido com o Timbu", disse o mandatário alvirrubro.

"Se algum atleta quer mudar de rumo, por decisão própria ou orientação empresarial, pode fazê-lo. Mas não às custas do clube, utilizando informações inverídicas. Não é este o caminho. Trata-se de uma exceção, uma atitude lamentável, que não altera em nada nosso plano de trabalho", completou Edno.

Comentários

Últimas notícias