Análise

Veja como está o Botafogo-PB, que encara o Santa Cruz nesta quinta pela Copa do Nordeste

O time paraibano vem em bom momento na temporada, liderando o Grupo A do Nordestão, mas apresenta defeitos que podem ser explorados pelo Tricolor

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 12/03/2020 às 8:13
Notícia
Josemar Gonçalves/Botafogo-PB
Léo Moura, ex-Santa Cruz, é a principal contratação do Botafogo-PB na temporada - Josemar Gonçalves/Botafogo-PB
Leitura:

O Santa Cruz tem uma dura missão nesta quinta-feira, diante do Botafogo-PB, pela sétima rodada da Copa do Nordeste. Faltando apenas mais duas para acabar a primeira fase da competição, o Tricolor busca a sua classificação mas, para isso, terá que bater o líder do Grupo A, ainda invicto no torneio. A reportagem do Jornal do Commercio analisou como vem jogando o Belo, os números da equipe na temporada e o que se pode esperar do adversário no Arruda, nesta quinta-feira, às 19h30.

NÚMEROS

O Botafogo-PB tem um começo de ano bastante positivo. Esteve invicto nos 11 primeiros jogos que disputou no ano e perdeu só no seguinte, para o Fluminense, quando foi eliminado na Copa do Brasil. Depois, se recuperou diante do Imperatriz-MA, batendo o Cavalo de Aço por 2 a 1 pela Copa do Nordeste. Ao todo, são 13 partidas realizadas, com seis vitórias, seis empates e uma derrota. Marcou 16 gols e sofreu 11. O artilheiro da equipe na temporada é o atacante Lohan, com quatro tentos, sendo dois deles no Nordestão. O Belo balançou as redes em 10 oportunidades. Nas partidas em que marcou, conseguiu seis vitórias e quatro empates. Por outro lado, sofreu gol em oito dos 13 jogos do ano. Nesse recorte, venceu três, empatou quatro e perdeu uma.

O Alvinegro tem sido eficiente em conquistar os resultados e os números têm mostrado isso. Porém o desempenho tem gerado críticas. Dos 16 gols, 13 vieram de bola parada ou de cruzamentos, totalizando 81,2%. Ou seja, a equipe tem dificuldades em balançar as redes com lances de jogada trabalhada, tocando a até a área, mesmo tendo um bom ataque e troca rápida de passes. Esta falta de repertório é uma das críticas para a equipe que, apesar de tudo, vive um grande momento no ano. Lidera o Grupo A da Copa do Nordeste com 12 pontos. No Estadual, é o terceiro colocado, com 11.

Para se defender, o Botafogo-PB aposta em duas linhas de quatro, mas é uma equipe que ainda apresenta dificuldades na transição defensiva. O meio-campo demora a recompor e costuma deixar espaços em contra-ataques. Assim, contra times rápidos, sofre um pouco mais. Outro ponto a se ressaltar é que, apesar dos zagueiros Fred e Luís Gustavo serem altos e bons por cima, os demais marcadores não acompanham o mesmo nível para qualificar mais esse posicionamento para a marcação em jogadas de bola aérea. Algo que pode ser explorado pelo Santa Cruz.

EX-TRICOLORES

Um caso curioso do atual elenco do Botafogo-PB é o número de atletas que tem passagem pelo Santa Cruz. Ao todo, são quatro jogadores. Além do experiente lateral-direito Léo Moura, de 41 anos - que chegou a ser oferecido para o Tricolor no começo do ano, mas não houve acerto por conta dos valores acima do que o clube poderia pagar -, também estão os volantes Wellington César e Everton Heleno, além do meia Juninho Silva. Todos com status de titular no atual momento do Belo.

Léo Moura é quem menos atuou. Entrou em campo apenas cinco vezes. Porém, por questões físicas devido a idade, já era algo esperado. Em seguida Wellington Cezar, que tem o mesmo número de partidas, mas ganhou a posição nas últimas rodadas com a lesão do titular Rogério. Juninho Silva, que está na terceira temporada no Botafogo-PB, disputou oito jogos. Everton Heleno foi acionado mais vezes. Dez, no total. E pela provável escalação da equipe, os quatro devem estar em campo nesta quinta-feira. Para os mais supersticiosos, vale o cuidado com a “Lei do Ex”.

Comentários

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias