Polêmica

Por causa de apoio ao Golpe Militar no Brasil, líder do Intervenção Popular Coral é afastado do grupo de torcedores do Santa Cruz

O advogado João Santana publicou no Twitter uma mensagem de apoio ao Golpe Militar no Brasil

Davi Saboya
Davi Saboya
Publicado em 31/03/2020 às 23:00
Notícia
DIVULGAÇÃO
IPC busca reforma do estatuto do Santa Cruz. Foto: Divulgação - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Um dos líderes do movimento Intervenção Popular Coral (IPC), o advogado João Santana foi afastado do grupo de torcedores do Santa Cruz. A saída se deve ao fato de ter realizado uma postagem na conta pessoal no Twitter em apoio ao Golpe Militar de 1964 que aconteceu no Brasil. A postura gerou grande repercussão negativa na torcida tricolor, que repudiou o comentário e cobrou uma justificativa.

"Se os torcedores, que colocaram a gente dentro do Santa Cruz de forma democrática, não gostaram da atitude, tomamos a decisão em conjunto de afastar João (Santana) do movimento. Nosso grupo não compactua com qualquer atitude anti-democrática", afirmou o também advogado e líder do IPC, Johnny Guimarães.

O Twitter excluiu a postagem de João Santana. Porém, o advogado tricolor reiterou o discurso. "O Twitter apagou minha publicação , mas quero informar aqui que não retiro nenhuma palavra do que eu disse", publicou.

Origem

Vale lembrar que o grupo Intervenção Popular Coral surgiu nas redes sociais entre torcedores do Santa Cruz com o intuito de reformar o estatuto do clube. Ideia que o movimento conseguiu avançar bastante no Conselho Deliberativo depois de várias batalhas jurídicas. Se não fosse a pandemia do novo coronavírus, a Assembléia Geral para aprovar ou não as "leias tricolores" iria acontecer no último dia 22 deste mês de março.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias