SANTA CRUZ

Diretor do Santa Cruz cobra CBF para ajudar clubes brasileiros

João Caixero também revelou que as atividades de manutenção no Arruda estão paralisadas e as obras no CT estão sendo realizadas em 60%

Pedro Alves
Pedro Alves
Publicado em 19/05/2020 às 12:11
Notícia
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Balanço financeiro do Santa Cruz deve incluir o estádio do Arruda como patrimônio do clube - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

A pandemia do novo coronavírus prejudicou as atividades dos clubes de todo o mundo. No Brasil, a situação se agrava ainda mais pelas realidade econômica do país. Em entrevista para a Rádio Jornal, o diretor patrimonial do Santa Cruz, João Caixero, cobrou uma atuação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no apoio aos clubes de futebol vinculados a entidade.

Segundo Caixero, são essas equipes que sustentam a principal organizadora do futebol e precisam de ajuda nesse momento delicado. “A CBF com seus R$ 517 milhões em caixa e aplicações deveria dar uma olhada nesse novo futebol, o mundo inteiro parou e isso é uma forma de reiniciar. E esse caixa todo que a CBF tem e que advém de seus afiliados do futebol que produz para ela”, disse o diretor.

João Caixero também acredita que o futebol deveria retornar com um formato diferente do convencional utilizado até antes da paralisação, mas que ainda não é o momento de recomeçar as atividades nos clubes.

OUÇA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:

“Não existe clima. A gente espera, que o futebol reinicie, mas com o novo formato, mas não imediatamente. Por isso a necessidade de ajuda aos clubes do Campeonato Brasileiro para que esses clubes não parem”, afirmou. 

 

No Santa Cruz, o distanciamento social prejudicou principalmente as obras no Centro de Treinamento do clube, mas que não foi totalmente interrompido, como afirmou o diretor patrimonial Tricolor.

“O CT e o Arruda teve uma redução nas ações de trabalho. O estádio está com o seu sistema de manutenção de estrutura parado, mas o CT está reduzido em 60%, com o segundo campo totalmente pronto com drenagem, irrigação e com o colchão areia pronto para receber a grama. O primeiro campo em seu trabalho de manutenção. Estamos esperando que isso passe para que podemos voltar a esse trabalho. Mas não tem nada parado”, completou.

Títulos de sócios para sorteio de camarote

O Santa Cruz vinha realizando o lançamento de 100 títulos numerados de sócios patrimoniais para a classe ouro, no valor de R$ 3.700 mil, que serviria para um sorteio de um camarote no Arruda. A pandemia prejudicou as negociações e, até o momento, apenas 16 títulos foram negociados. 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias