LEMBRANÇAS

João Paulo relembra jogos marcantes com o Santa Cruz e revela o que fez com camisa ensanguentada

O meia destacou jogos contra o rival Sport

Pedro Alves
Pedro Alves
Publicado em 27/05/2020 às 12:59
Notícia
Alexandre Gondim/JC Imagem
João Paulo machucou o supercílio durante clássico do Santa Cruz contra o Sport. Ele foi responsável por marcar o gol que empatou a partida por 1x1 - FOTO: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

João Paulo, o meio campista que deu o sangue pelo Santa Cruz - literalmente - relembrou momentos marcantes do tempo em que defendia a equipe coral, durantes os anos 2015 e 2016. Período esse em que o Tricolor teve suas maiores conquistas na década, como o título da Copa do Nordeste e acesso ao Campeonato Brasileiro da Série A. 

Em especial, João Paulo destacou o jogo contra o Sport, em 2015, onde saiu sangrando para comemorar o gol em plena Ilha do Retiro. Na oportunidade, o Sport vencia o Santa Cruz até que o meia coral empatou a partida aos 48 minutos do segundo tempo. No entanto, o que mais impactou foi na comemoração. O meia ficou todo ensanguentado após disputar a bola de cabeça com o zagueiro do Sport, Durval, e cortar o supercílio.

“Esse lance foi nos acréscimos do segundo tempo. A gente sabe que quando chega nesse final de jogo você não pensa, não consegue raciocinar e fomos no instinto de tentar empatar. A bola foi na área e deram uma casquinha, eu cheguei na bola e senti um impacto, vejo a bola entrando, e fui comemorar. Tanto que quando eu pulo a placa eu não consigo. Depois que eu levanto que eu vejo que tô sangrando”, relembrou João Paulo que revelou que tem a camisa do jogo guardada.

“(A camisa) Tá guardada, mas eu vacilei em tirar o sangue. Ela vai para o quadro e tá guardada com muito carinho”, afirmou.

2016

Em 2016, podemos dividir o ano do Santa Cruz em dois. No primeiro semestre, o Tricolor atingiu o ápice de seu desempenho técnico e, junto a isso, a conquista de dois títulos: o Campeonato Pernambucano, pelo segundo ano seguido, e a Copa do Nordeste, maior título da história do clube.

João Paulo relembrou momentos daquele ano. “Em 2016, teve a vitória contra o Flamengo que, para nós, foi muito grande. Porque que era um grande time, orçamento. Começar o Pernambucano com tropeços é normal. Em 2016, a gente tinha um time muito talentoso. Tanto que quando chegamos nas finais, nós no sobressaímos. Teve a final contra o Sport que eu me lesionei e ganhamos de 1x0”, disse.

Segundo semestre

Já o segundo semestre, foi ladeira a baixo. Até começo a Série A bem, liderando a competição e vencendo bem equipes como Cruzeiro e Vitória. Mas devidos a problemas extra-campo, a equipe teve uma queda brusca de rendimento. Ano também que aconteceu que mais incomoda João Paulo na carreira, que foi o clássico contra o Sport.

“Eu vejo que a gente tinha um time competitivo. Talvez não tínhamos um elenco de 20 jogadores no mesmo nível com os 16 clubes para ficar fora de uma zona, mas tínhamos os 11. Era um time competitivo. Não tivemos um jogo que a gente passou vergonha. No meio do ano a gente teve uns problemas financeiros. Era um campeonato muito difícil. Tem times milionários que sofrem. Tem times competentes. Foi complicado, foi duro para nós, não ficamos de biquinho por causa de problemas financeiros. Nos entregamos e foi bonita essa entrega, mas infelizmente a gente caiu. Tem o jogo contra o Sport que é o jogo que mais me incomoda na minha carreira. Um jogo que a gente abriu 2x0 e tomamos a virada”, completou.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias