Sem favoritismo

Volante não se vê favorito à vaga de titular e diz que pode mudar estilo para ajudar Santa Cruz

André pode ganhar mais espaço com Marcelo Martelotte nesta reta final de campeonato com a suspensão de Bileu. O prata da casa ainda se dispôs a ser um atleta de mais marcação, como o treinador gosta

Klisman Gama
Klisman Gama
Publicado em 05/01/2021 às 18:21
Notícia

RAFAEL MELO/SANTA CRUZ
Volante deve assumir a vaga deixada por Bileu, que cumpre suspensão diante do Vila Nova - FOTO: RAFAEL MELO/SANTA CRUZ
Leitura:

Com a expulsão de Bileu contra o Ituano no último domingo, no Arruda, quem deve assumir a titularidade como primeiro volante do Santa Cruz é o prata da casa André. Ele que, no início da temporada, ganhou a condição de titular com o técnico Itamar Schulle e foi um dos destaques do time, acabou perdendo um pouco de espaço com Marcelo Martelotte entre os 11 iniciais, já que Bileu possui uma característica de marcação mais forte. Mesmo assim, o jovem cabeça de área vem sendo bastante utilizado e é o substituto imediato para estar em campo diante do Vila Nova, no próximo sábado (9), às 17h. Contudo, André rejeita qualquer favoritismo para iniciar o jogo.

"Não tem essa de favorito. Eu vim jogando o ano todo, o Martelotte, com toda sua inteligência e capacidade preferiu outro estilo de jogo e colocou o Bileu. Eu respeitei, soube esperar meu momento. Não gostaria que fosse assim, não gostaria que ele fosse expulso. Para mim, o importante era a gente estar sempre ganhando, comigo, com Tinga, com Paulinho, independente de quem está jogando ali no meio. Mas eu vou brigar na semana para ver se eu consigo entrar de titular no próximo jogo e fazer de tudo para sair com os três pontos lá contra o Vila. Não importa se eu vou jogar ou não, o que importa são os três pontos", destacou o jogador.

Mudança de estilo?

O que pesou na mudança feita por Martelotte na cabeça de área foi a característica. André, apesar de ser um jogador mais técnico, de bom passe, visão de jogo e capacidade de armação, não é um atleta tão intenso na marcação, que trabalha como um “cão de guarda” na entrada da área, tal qual Bileu faz. Por já conhecer o experiente volante, o treinador optou por colocá-lo na vaga do prata da casa. Agora, com a chance em mãos de voltar ao time e permanecer com a posição, André não descarta a possibilidade de mudar um pouco a sua característica para se encaixar dentro da proposta do comandante. O que importa, para ele, é trazer a vitória para o Tricolor e encaminhar o acesso.

"Não tem nada na minha cabeça a não ser isso. Hoje de manhã, que normalmente seria a reapresentação, eu já acordei cedinho, fui na academia, me cuidei de manhã cedo. Se for para mudar meu estilo de jogo, que é mais cadenciado, com mais qualidade, se for para me tornar um cara mais de meio-campo para destruir jogada, eu vou, porque o importante é o acesso do clube. Minha cabeça só está focada nisso, não penso em férias, não penso em nada mais, só quero esse acesso", encerrou André.

Comentários

Últimas notícias