ÍDOLO DE VOLTA

'A vinda de Givanildo trará extremo profissionalismo ao futebol do Santa Cruz", afirma presidente

Um dos maiores ídolos da história do Santa Cruz, Givanildo será o novo diretor técnico de futebol do clube

Lucas Holanda
Lucas Holanda
Publicado em 10/06/2021 às 12:16
Notícia
ACERVO/ JC Imagem
Treinador está de volta ao Santa Cruz. - FOTO: ACERVO/ JC Imagem
Leitura:

Presidente do Santa Cruz, Joaquim Bezerra elogiou a chegada de Givanildo Oliveira, que será o novo diretor técnico de futebol do clube. Em entrevista ao comentarista Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal, o mandatário afirmou que a contratação do ídolo coral vai trazer extremo profissionalismo ao departamento de futebol do Tricolor do Arruda. Além disso, Joaquim explicou que, com o acerto com Givanildo, o Santa terá o que ele batizou de 100% de profissionalização no futebol do clube, algo que, segundo o mandatário, já era desejo antigo da direção coral.

"A vinda de Givanildo trará uma realidade de extremo profissionalismo para o departamento de futebol do Santa Cruz. Então, esse coordenador técnico, que nós estamos denominando como diretor técnico, trabalhará com o executivo de futebol, que ficará responsável pela parte mais administrativa, da logística e contratações. E esse tripé, que tem comissão técnica, diretor técnico e executivo de futebol representa os 100% de profissionalismo que sempre pensei para o departamento de futebol do Santa Cruz. Não realizei antes porque precisava escolher o melhor nome, um nome que tivesse efetividade no clube", afirmou o mandatário coral.

De acordo com o presidente do Santa Cruz, a função de Givanildo Oliveira será fazer a integração de todas as áreas do futebol (de fisiologia, física e médica) com a equipe técnica e com jogadores. Um fator determinante, claro, para apostar no 'Rei do Acesso' foi o seu histórico vitorioso no Tricolor do Arruda, sendo vencedor tanto como atleta como treinador. "Givanildo é uma pessoa que dispensa comentários para o torcedor do Santa Cruz e a imprensa pernambucana. É um nome que tem uma expressão a nível nacional, foi um brilhante jogador e técnico", explicou Joaquim.

"E convencemos ele a fazer essa transição de carreira, saindo de uma posição de treinador para assumir uma posição de gestão dentro do futebol, onde ele é conhecedor. É uma pessoa que tem serviços prestados ao futebol brasileiro e em especial ao Santa Cruz. A credito que vinda de Givanildo vai fazer com que o departamento de futebol do Santa Cruz se eleve a um nível de profissionalismo, onde a gente espera levar o time de volta as principais séries do Campeonato Brasileiro, começando agora com o acesso à Série B. E fazer com que, nas disputas das competições, nós tenhamos um time coeso e agressivo (no bom sentido), para conquistar as vitórias dentro de campo", completou.

De acordo com o comunicado divulgado nas redes sociais do Santa Cruz, a contratação de Givanildo Oliveira não inviabiliza a atuação dos diretores estatuários Albertino dos Anjos, Oberdan Rabelo, Jaime Cordeiro e Thomaz Barbosa, que continuarão contribuindo com o presidente executivo, Joaquim Bezerra. Além disso, o novo diretor terá ligado a sua função os departamentos físicos, técnicos e fisiologia, tendo uma interação de forma integrada com o departamento médico e a transição da base para o profissional.

Um dos maiores ídolos da história do Santa Cruz

Além da vasta experiência, um dos motivos que levaram à atual gestão a contratar Givanildo para a função foi a identificação que ele possui com o Santa Cruz. Isso porque o agora diretor técnico está na história das Repúblicas Independentes do Arruda como o jogador que mais vestiu a camisa Tricolor. Foram, ao todo, 599 jogos disputados em duas passagens, entre 1969 e 1979, onde foi pentacampeão pernambucano.

Já como treinador, obteve diversas conquistas no Santa Cruz e em outros clubes, como seis acessos, sendo cinco para Série A (um deles com o Tricolor, em 2005, quando também foi campeão estadual) e um para Série B. O histórico o fez ser conhecido como “rei do acesso”. Ao todo, possui 18 títulos estaduais, além de uma Copa do Nordeste com o Sport (1994) e duas Série B (1997 com o América-MG e 2001 com o Paysandu).

Comentários

Últimas notícias