Exterior

Ex-estragegista de Trump, Steve Bannon é solto após pagar fiança de R$ 27,7 milhões

Com 66 anos, Bannon, está sendo acusação de desviar US$ 1 milhão de uma campanha virtual de doação para a construção de um muro na fronteira entre EUA e México

Douglas Hacknen
Douglas Hacknen
Publicado em 21/08/2020 às 0:02
Notícia
Foto: AFP
Trump acusou seu ex-chefe de Estratégia de vazar informações falsas quando estava na Casa Branca - FOTO: Foto: AFP
Leitura:
Preso nesta quinta-feira (20), acusado de fraude contra as pessoas que doaram dinheiro para a construção de um muro na fronteira com o México, o ex-estrategista de Donald Trump, Steve Bannon, foi solto após pagar fiança de US$ 5 milhões, o equivalente a R$ 27,7 milhões. Os advogados de Bannon fecharam um acordo para libertá-lo de acordo com informações divulgadas pela agência Reuters e o canal NBC.
O acordo teria sido fechado na tarde desta quinta, mesmo dia da prisão. A NBC, informou que para ele deixar a prisão teria, inicialmente,  de apresentar garantias no valor de mínimo de US$ 1,75 milhão, podendo ser em dinheiro vivo ou prioridades, até o dia 3 de setembro.
Com 66 anos, Bannon, está sendo acusação de desviar US$ 1 milhão de uma campanha virtual de doação para a construção de um muro na fronteira entre EUA e México, que teria arrecado ao todo US$ 25 milhões. Na determinação a Justiça federal de Nova York determinou que o ex- estrategista terá o passaporte retido e não poderá usar aviões ou barcos privados até a conclusão do processo. Bannon só poderá circular entre Nova York, Washington e Connecticut. A audiência de custódia aconteceu de modo virtual. 
Próximo da família Bolsonaro, Bannon é colocado como um dos grandes articuladores de direita. O homem é o criador do "O Movimento", que pretende unir líderes de direita de todo o mundo; o deputado federal e filho do presidente da República, Eduardo Bolsonaro foi escolhido como seu representante no Brasil.
 
Segundo procuradores federais de Nova York, o dinheiro das doações ajudou os envolvidos a levar uma vida de gastos excessivos. Bannon teria recebido mais de US$ 1 milhão (R$ 5,6 milhões) da campanha. Kolfage teria se apropriado de US$ 350 mil (R$ 1,9 milhão) de maneira similar. 
Um dos inspetores do caso Philip R. Bartlett disse que "os réus se engajaram em fraudes quando desrespeitaram o uso dos fundos doados. Eles não apenas mentiram aos doadores, mas elaboraram esquemas para esconder a apropriação dos fundos ao criar faturas e contas falsas para 'lavar' as doações e encobrir seus crimes", concluiu.

Trump

Na Casa Branca, Trump disse a repórteres que se sente "muito mal" pelas acusações feitas a Bannon, mas procurou se distanciar do estrategista e do suposto esquema de fraude. "Acho que é um fato triste", disse o presidente. "Não lido com ele há anos, literalmente anos.
Trump já havia acusado seu ex-chefe de Estratégia de vazar informações falsas quando estava trabalhando na Casa Branca
*Com informações do jornal Folha de São Paulo

Últimas notícias