CORONAVAC

Fala de Bolsonaro contra a China pode dificultar vinda de insumos para Butantan produzir vacina

O Butantan entregará lotes da vacina hoje e na próxima semana, mas não há mais IFA para a sequência em larga escala da produção

Alberto Bombig
Alberto Bombig
Publicado em 06/05/2021 às 7:00
Notícia
CAROLINA ANTUNES/PR
O presidente Jair Bolsonaro foi um dos defensores do chamado tratamento precoce - FOTO: CAROLINA ANTUNES/PR
Leitura:

O timing não poderia ter sido pior. O Butantan acompanhou estarrecido a insinuação do presidente Jair Bolsonaro de que a China fez "guerra química" com o coronavírus. Produtor da Coronavac, o instituto tem a expectativa de receber dos chineses até o dia 15 insumos para mais doses.

O Butantan entregará lotes da vacina hoje e na próxima semana, mas não há mais IFA para a sequência em larga escala da produção. Em privado, dirigentes do instituto dizem que declarações desastradas respingam na difícil negociação pelos insumos.

O Butantan solicitou 6 mil litros de IFA aos chineses, mas não há confirmação nem de datas de entrega nem de quantidade.

Boom!

Bolsonaro errou no timing duas vezes porque Carlos França já tinha audiência marcada nesta quinta-feira (6) no Senado. Interlocutores do chanceler apostam que será cobrado a explicar (sabe-se lá como) as falas do presidente.

Fumaça

Aliados de Bolsonaro comemoraram o fato de ele ter "dividido" as atenções do noticiário com as declarações ontem (5). Na terça-feira (4), o presidente ficou inconformado com a prevalência da CPI.

Carga dupla

Paulo Guedes também fustigou os chineses recentemente. No ano passado, a cada declaração de Bolsonaro de que não compraria a Coronavac, dirigentes do Butantan tinham de ligar para os chineses dizendo que não era bem assim. Para que vamos mandar insumos se o presidente de vocês já disse que não quer a vacina?, questionavam os chineses. O lado brasileiro teve de ter muito jogo de cintura.

Pano

A interlocutores, o presidente do STF, Luiz Fux, minimizou as declarações de Bolsonaro, novamente afrontando a Corte: "cortina de fumaça".

Curtas...

Do seu modo, Nelson Teich ajudou bastante a CPI a avançar mais uma casinha na caminhada rumo a um relatório que responsabilize Bolsonaro.

Otto Alencar (PSD-BA) brilhou ao recomendar antirrábica a Luiz Carlos Heinze (PP-RS).

Relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou que os depoimentos de Luiz Henrique Mandetta e Teich deixaram claro a existência de um "ministério paralelo da saúde", aconselhando na contramão da ciência.

"Um poder paraestatal, das sombras, um gabinete das sombras, desconhecido, que não apenas aconselha, assessora, mas produz documentos, como a burla na bula, encaminha soluções, como produzir mais cloroquina, e confronta as orientações dos médicos", afirma Renan.

Agora quem dá bola

Prestes a ingressar no PSDB, o vice-governador Rodrigo Garcia (DEM) tem algo em comum com tucanos importantes na história do Bandeirantes: torcer para o Santos.

Mario Covas (1930-2001) era apaixonado pelo time praiano, como são Geraldo Alckmin e João Doria. A grande exceção sempre foi o palmeirense José Serra.

PRONTO, FALEI!

Fausto Pinato - Presidente da Frente Parlamentar Brasil-China

"Penso que estamos diante de um caso em que se recomenda a interdição civil para tratamento médico", sobre fala de Jair Bolsonaro a respeito da China.

Comentários

Últimas notícias