COLUNA

O controle de Aras se mantém mesmo após ''tratoraço''

A oposição entende que o melhor caminho para uma investigação do "tratoraço" passa mesmo pela via do TCU

ALBERTO BOMBIG
ALBERTO BOMBIG
Publicado em 12/05/2021 às 7:00
Notícia
STF
O procurador-geral da República, Augusto Aras - FOTO: STF
Leitura:

O clima é tenso no Palácio do Planalto, contrariado com o depoimento de Barra Torres à CPI do Senado e pressionado por causa do "tratoraço" revelado pelo Estadão. Por ora, o entorno de Jair Bolsonaro, em rara consonância com a oposição, avalia que, ao menos no caso do orçamento secreto, Augusto Aras não entrará em campo para valer enquanto o presidente tiver vaga à disposição no STF e ele próprio sonhar com um segundo mandato na PGR. Conforme um governista, se entrar, Aras jogará como "goleiro": puxará o freio de mão de investigações.

Por isso, a oposição entende que o melhor caminho para uma investigação do "tratoraço" passa mesmo pela via do TCU, que, ao fim e ao cabo, pode dar as bases para a acusação de um crime de responsabilidade do presidente.

Deu ruim

Segundo apurou a Coluna, o depoimento de Barra Torres à CPI que investiga a pandemia, no Senado, surpreendeu negativamente Jair Bolsonaro e seus auxiliares diretos.

 Não imaginavam que o presidente da Anvisa iria avançar na picada aberta por Luiz Henrique Mandetta da reunião que propôs alterar a bula da cloroquina. A partir de agora, não é só a palavra do ex-ministro da Saúde contra a de Bolsonaro, mas também a do chefe da agência.

A ver

Ainda assim, os bolsonaristas vão insistir que ambos não têm como apresentar provas à CPI. De mais a mais, grupo importante entre os governistas e planaltinos aposta: enquanto as discussões da comissão estiverem girando em torno da cloroquina, Bolsonaro estará seguro.

Liberou

Um astuto observador captou: os bolsonaristas devem se apegar a uma informação quase escondida pelo próprio Barra Torres: a Anvisa autorizou um teste com cloroquina. E a própria CPI terá de abrir espaço para médicos que defendem o medicamento.

Sister

Lula conta mais de dez nomes de políticos ou empresários sugeridos como sendo o vice ideal do petista numa eventual candidatura em 2022. Até a ema do Planalto, a título de brincadeira, já foi lembrada para o posto. A última foi Juliette, campeã do BBB.

No time

O PSDB prevê para a próxima sexta-feira, 14, a filiação de Rodrigo Garcia ao diretório paulistano do partido. A ficha do vice de João Doria deverá ser abonada por Bruno Covas. Está previsto que o prefeito licenciado também grave um vídeo com uma mensagem.

Garcia, que está deixando o DEM, também tem encontro marcado em jantar com dirigentes e vereadores do PSDB. "É um excelente quadro, mais uma opção do partido para futuras disputas eleitorais", diz Fernando Alfredo, do diretório tucano da capital.

Hora de inovar

Pesquisa da Rede de Ação pela Política e Sustentabilidade (Raps) indica baixa incidência de iniciativas inovadoras no Congresso por meio de propostas para transparência, participação, profissionalização e parlamento do futuro.

Entre as quase 22 mil proposições coletadas, apenas 250 se enquadravam em alguma dessas quatro categorias de 2015 a julho de 2020. Segundo a Raps, a pesquisa aponta que a inovação no Brasil, se mais bem aproveitada, pode levar a um aperfeiçoamento das instituições. (Colaboraram Pedro Venceslau e Vera Rosa).

PRONTO, FALEI!

Felipe Salto - Econonista e diretor-executivo da IFI

"Orçamento é coisa séria e há muito o que melhorar nessa matéria Transparência é fundamental. Cada centavo precisa ser rastreável."

Comentários

Últimas notícias