DESENVOLTURA

Pazuello cumpre dupla função ao depor na CPI da Covid

A visão do Planalto é mais ou menos esta: melhor as atenções estarem voltadas para Pazuello porque o desgaste da CPI está precificado e não comove o bolsonarista raiz

ALBERTO BOMBIG
ALBERTO BOMBIG
Publicado em 20/05/2021 às 7:00
Notícia
GABRIELA BILÓ / ESTADÃO CONTEÚDO
O ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, - FOTO: GABRIELA BILÓ / ESTADÃO CONTEÚDO
Leitura:

O governo e os governistas comemoraram duplamente a performance de Eduardo Pazuello na CPI: botou um muro no caminho mais curto até o clã Bolsonaro e dividiu as atenções da imprensa e dos brasileiros com a operação da PF que mira o ministro Ricardo Salles. O "Dia D", por ora, frustrou quem tinha expectativas de um depoimento quente e cheio de novidades. Para a cúpula da CPI, o ex-ministro da Saúde estava bem preparado e confiante (até demais), escorado na possibilidade de se calar com o habeas corpus concedido pelo Supremo.

Menos mal

A visão do Planalto é mais ou menos esta: melhor as atenções estarem voltadas para Pazuello porque o desgaste da CPI está precificado e não comove o bolsonarista raiz. Já as graves suspeitas contra Salles atingem em cheio o discurso anticorrupção....

Melhor não

Senadores da cúpula da CPI da Covid esperam que Ricardo Lewandowski não conceda mais o antídoto às próximas testemunhas. Acham que deixou Pazuello soltinho demais...

Um astuto observador do STF diz: o habeas corpus de Pazuello não o autorizou a desacatar os senadores. Ou seja, é melhor o general baixar a bola.

Suave na nave

Do entorno de Pazuello: o desempenho dele foi nota dez. Não perdeu a cabeça, deu respostas atravessadas que renderam material para as redes bolsonaristas e só não respondeu a uma pergunta.

Para o segundo tempo hoje, aliados do general acham que a pegada será mais do mesmo.

Pai tá on

Renan Calheiros (MDB-AL) recebeu nada menos que 28.353 sugestões de perguntas de internautas a Pazuello. Deve continuar aceitando sugestões para os próximos depoimentos. O relator bombou: foram 25 mil compartilhamentos nos "stories".

Zoeirinha

Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) é o típico aluno da "turma do fundão" na CPI: só na aparece para tumultuar.

Vixe!

Não passou despercebido por colegas de carreira de Ernesto Araújo o tratamento diferenciado que o ex-chanceler teve em comparação a Pazuello. O que foi visto como desrespeito por alas do Itamaraty.

Como?

Secretários municipais de Saúde do Estado estranharam o anúncio do governo paulista de flexibilizações nas regras de restrição à circulação de pessoas: os índices de ocupação de leitos de UTI e de contágio ainda estão em patamares altos nas cidades.

Pé no freio

Presidente do Instituto Questão de Ciência (IQC), Natalia Pasternak diz que a flexibilização em São Paulo, "com a chegada do inverno e números ainda expressivos de casos e óbitos, pode ser um tiro no próprio pé".

"Não é momento de relaxar, mas de intensificar as medidas, com boas campanhas para evitar aglomerações e uso de máscaras", afirma a cientista.

Cobiçado

Presidente do PSL-SP, Júnior Bozzella recebeu convite para integrar o PSDB e o MDB. Almoçou com João Doria ontem, 19. "Nossa sigla não deve se colocar nessa posição vulgar e fisiológica de querer vender caro um possível apoio ao bolsonarismo", disse, sobre a reaproximação do PSL com o clã. (COM MARIANNA HOLANDA)

PRONTO, FALEI!

Márcio Astrini - Secretário executivo do Observatório do Clima

"Brasil, 2021. Ninguém sabe se o ministro do Meio Ambiente vai terminar a semana no cargo, demitido ou preso", sobre operação da PF contra Ricardo Salles.

 

Comentários

Últimas notícias