Coluna do Estadão

Estados ajustam fundos em aceno à indústria

Enquanto o projeto de lei complementar que regulamenta o fundo do Rio de Janeiro está sendo construído com sugestões da Firjan e outras entidades, o governo do Espírito Santo prepara decreto para permitir que seu fundo seja sócio de empreendimentos que venham a se instalar no Estado

ALBERTO BOMBIG
ALBERTO BOMBIG
Publicado em 04/10/2021 às 7:16
Análise
Rafael Wallace/Divulgação
No Rio, o presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT), reuniu sugestões para o substitutivo que está na CCJ - FOTO: Rafael Wallace/Divulgação
Leitura:

Em acenos ao setor industrial, Estados fazem ajustes em seus recém-criados fundos soberanos, planejados para gerir a aplicação a longo prazo de recursos vindos de royalties do petróleo, uma espécie de "poupança" para investimentos em diferentes áreas. Enquanto o projeto de lei complementar que regulamenta o fundo do Rio de Janeiro está sendo construído com sugestões da Firjan e outras entidades, o governo do Espírito Santo prepara decreto para permitir que seu fundo seja sócio de empreendimentos que venham a se instalar no Estado.

Diz aí

No Rio, o presidente da Assembleia Legislativa, André Ceciliano (PT), reuniu sugestões para o substitutivo
que está na CCJ. Entre as mudanças, estão deixar o Conselho Gestor do fundo nas mãos da Secretaria do
Planejamento do Estado, e não mais da Fazenda, como previsto no projeto aprovado para criar o fundo estadual.

Contas

Entre outros pontos, a Firjan defendeu que esteja previsto o aporte de recursos sempre que a variação
do preço do barril de petróleo ou o câmbio implicarem uma redução maior que 30% na receita oriunda dos royalties e participações especiais - desde que o valor não seja superior a 20% do saldo do fundo.

Agora

"A dependência da nossa economia do chamado 'ouro negro' fez o Rio mergulhar em sua pior crise
financeira. É preciso aproveitar o momento em que a arrecadação com royalties e participações vem
crescendo para investir e atrair empresas para movimentar a economia", disse Ceciliano à Coluna.

Match

No Espírito Santo, a ideia do governador Renato Casagrande (PSB) é permitir que o fundo, que tem
aporte total de R 610 milhões e cerca de R 250 milhões já disponíveis, tenha participação direta
na instalação de empreendimentos estratégicos.

Disputa

Seis empresas privadas estão no certame para atuar como gestora do fundo capixaba e o resultado da
licitação está previsto para ser divulgado na primeira quinzena de outubro.

É assim...

Bolsonaro elogiou duas decisões do novo presidente do BNB, Anderson Possa, ainda interino: a venda do King Air do banco e o início da licitação do Crediamigo, a linha de crédito hoje gerida por uma ONG ligada ao PT, o Inec.

... tá ok?

O presidente contou a um integrante da equipe econômica que conversou com Anderson Possa por
telefone no sábado. "Bota moral aí", determinou o presidente.

Sozinho

Depois de até convocar seguidores para irem à Avenida Paulista no sábado, Alexandre Frota (PSDB-SP) se mostrou decepcionado. "Não vi ninguém de direita ou centro. O ato foi da esquerda. Líderes adotaram cores azul claro, azul bebê, é até engraçado, mas a bandeira era vermelha", disse à Coluna. 

Pão na chapa

Sem escritório, Geraldo Alckmin transformou a padaria de seu bairro, em São Paulo, numa espécie de home office. O ex-governador, porém, acha que está gastando demais com quem deixa o café na conta dele...

Comentários

Últimas notícias