PRIVATIZAÇÃO

Mercado não vê birra de Lula com a Eletrobras caso seja eleito

À Coluna, Dias e Padilha disseram que o PT tem de agir antes que a venda se concretize

Mariana Carneiro
Cadastrado por
Mariana Carneiro
Publicado em 19/05/2022 às 7:00
NELSON ALMEIDA / AFP
TEMPO Petistas disseram ser inviável comparecer em todos os debates - FOTO: NELSON ALMEIDA / AFP
Leitura:

Emissários do PT em conversas com investidores e empresários, Wellington Dias e Alexandre Padilha não têm sido questionados sobre o que o partido fará em relação à privatização da Eletrobras. A avaliação no mercado financeiro é a de que, muito embora os petistas estejam inconformados com a possível venda do controle da empresa, as chances de uma reversão em um eventual governo Lula são remotas. Tanto pela dificuldade jurídica quanto pela briga que o petista teria de comprar logo no início de governo. À Coluna, Dias e Padilha disseram que o PT tem de agir antes que a venda se concretize e se desviam quando questionados sobre o que ocorreria em 2023 sob Lula. Outros petistas, porém, querem levar a briga até o ano que vem.

VER DE NOVO

Mesmo após a autorização dada pelo TCU ontem, deputados do PT, como Rogério Corrêa (MG), prometem fazer uma auditoria, caso a privatização de fato ocorra. "Quem comprar não vai poder reclamar depois, não é quebra de contrato se a venda não foi feita dentro da normalidade."

LUPA

O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, prometeu a deputados e ao presidente da Câmara, Arthur Lira, avaliar se é possível usar parte da outorga da venda da Eletrobras para baixar os reajustes de luz ainda neste ano. Ele também ficou de dar uma resposta sobre o uso de crédito tributários de ICMS para esse fim em todos os Estados.

EFEITO

Após o episódio com Arthur do Val, o MBL terá uma mulher como coordenadora nacional. O posto será de Amanda Vettorazzo (União), que é pré-candidata a deputado estadual.

OLHO

As pesquisas encomendadas por PSDB e MDB para escolher um candidato único mostraram que não é negócio atacar os dois extremos. Ou seja, Lula e Bolsonaro. O levantamento mostrou que a população quer saber o que o candidato vai fazer para resolver a vida na prática. Por isso, Simone Tebet (MDB) foi aconselhada a reduzir as críticas a Bolsonaro e focar em se apresentar.

SOBE

Embora escolhida pelos líderes da terceira via, Tebet ainda terá de cumprir mais etapas para se consagrar candidata do grupo, avaliam tucanos. O principal deles é crescer nas pesquisas e mostrar que tem chances.

CARA A CARA

Um time do PSDB vai a São Paulo na próxima segunda ter uma conversa franca com João Doria. Farão parte do grupo o presidente da sigla, Bruno Araújo, o senador Izalci Lucas (DF), e o líder na Câmara, Adolfo Viana (BA).

LADO

Geraldo Alckmin já avisou petistas que, apesar dos apelos do partido, não subirá no palanque de Fernando Haddad (PT) caso seu colega de PSB Márcio França se mantenha na corrida pelo governo paulista. O resultado pode ser que Alckmin apareça apenas com Lula em São Paulo e evite Haddad.

ELEIÇÃO

Rodrigo Garcia (PSDB) anuncia hoje mais R$ 2,9 bi para o programa Estrada Asfaltada, usado para pavimentar vias em 145 cidades paulistas.

PRONTO, FALEI!

Marcos do Val - Senador (Podemos-ES)

"O momento pós-pandemia não é para se discutir aumento de salário de ninguém. O timing não é bom. Se tivéssemos crescimento econômico, tudo bem."

Comentários

Últimas notícias