Aposta nos fundos imobiliários

Publicado em 29/11/2020 às 2:00
REPRODUÇÃO
Charles Susskind da CMS - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

O consultor financeiro Charles Susskind, líder da CMS, é um caso bem interessante de alguém que não veio do mercado financeiro, mas que criou um dos escritório de melhor performance no setor, especialmente junto a XP Investimentos, com quem trabalha como escritório associado.

Segundo ele, o mercado de investimentos mudou drasticamente no Brasil. Esta mudança começou com o surgimento das plataformas independentes, que trouxeram ao investidor em geral a oportunidade de aplicar em produtos que antes estavam disponíveis apenas para grandes investidores, democratizando o acesso aos investimentos para todos os brasileiros.

Junto com esta disponibilidade, a mudança no patamar da taxa de juros, acelerou ainda mais este processo de aprendizado e da forma de se investir.

Para se ter uma ideia, em 2003 existiam apenas 85 mil CPFs na Bolsa. De 2010 até 2017, cerca de 610 mil. Em 2019, começou a explosão no interesse dos investidores, passando para quase 1,7 milhão. Este ano já são mais de 3,1 milhões ativos, sem considerar via fundos.

E um exemplo dessa evolução é a quantidade de investidores que tem Fundo Imobiliário em sua carteira. Este é um mercado relativamente novo, com poucos anos de história e que já atingiu mais de 1 milhão de CPFs. É uma tendência.

Ele lembra que muitas aplicações financeiras de renda fixa têm sua rentabilidade atrelada à Selic. Mas é difícil dar esse conselho para quem nunca investiu em renda variável. É preciso conhecer bem o risco que está tomando e ter uma carteira diversificada.

Os fundos imobiliários trazem o pagamento de dividendos mensais e isentos de imposto de renda. A imensa maioria dos fundos listados tem pagado mais que o dobro da taxa de juros atual e ainda por cima isento de imposto. Isso sem considerar a variação da cota no mercado.

Comentários

Últimas notícias