Patrocinado

Sistema EAD sólido é diferencial positivo para estudantes durante pandemia

Com sistema de aulas remotas bem consolidado, Uninassau oferece ferramenta de qualidade para universitários durante pandemia da Covid-19

JC360
JC360
Publicado em 15/07/2020 às 8:00
Patrocinada
Luisi Marques/JC360
Ensino a Distância já estruturado facilitou transição para quem tinha aula presencial, explica a gerente acadêmica de EAD da Uninassau, Dayanna Ximenes - FOTO: Luisi Marques/JC360
Leitura:

As aulas remotas são realidade em muitas instituições de ensino por causa da Covid-19. Para continuar alcançando a excelência educacional, foi necessário inovar rapidamente e se adaptar a este modelo. Com o Ensino a Distância (EAD) já consolidado, a Uninassau é um exemplo claro das novas circunstâncias impostas pela doença.

Gerente acadêmica de EAD da Uninassau, Dayanna Ximenes explica que, apesar da surpresa que foi a pandemia, o centro universitário estava preparado para dar continuidade ao processo educacional de modo remoto. Graças ao EAD já bem estruturado, a adaptação dos alunos que tinham aulas presenciais aconteceu de maneira tranquila. “A pandemia trouxe uma nova perspectiva com as aulas remotas, principalmente para os alunos do presencial. Conseguimos transformar o ensino de uma forma mais rápida e tranquila. Tudo para que eles recebessem o professor diretamente dentro do ambiente domiciliar, através das aulas remotas”.

A estudante de Fisioterapia Drielle Alcântara, 26 anos, passou por essa transição. Com relação à formação acadêmica, ela não sentiu dificuldades, por já conhecer o EAD da universidade. “Com a pandemia e a suspensão das aulas presenciais, não senti muita diferença porque já fui estudante do presencial, e agora estou no EAD da Uninassau. Então, estava preparada para todas essas mudanças”, acredita.

Luisi Marques/JC360
Com aulas em tempo real, a estudante da Uninassau Drielle Alcântara conta que tira dúvidas como se estivesse em sala presencial - Luisi Marques/JC360

Prestes a iniciar o 4º período, Drielle conta que a faculdade oferta um sistema digital exclusivo para os estudantes. “É o Ambiente Virtual de Aprendizagem, que chamamos de AVA, e lá acontecem todas as aulas. Podemos conversar com os professores, temos apoio de tutores, dos coordenadores. É uma plataforma bem completa. Podemos fazer tudo de casa, porque dispomos dessas ferramentas”, elogia. Ela afirma que o centro universitário facilita ainda mais essa adaptação por oferecer uma disciplina específica para os cursos de EAD, que ajuda os alunos a organizarem os estudos.

Para garantir a continuidade na formação dos estudantes e o suporte aos professores, a Uninassau criou um questionário em que alunos e docentes dão um feedback à instituição sobre a adaptação ao ensino remoto. “Para quem atuava somente no presencial, passar a ter ou a dar aulas de casa foi uma mudança bem profunda. No questionário, temos como verificar de que modo eles estão se adaptando, se o tempo de aula é suficiente, se o aluno conseguiu atingir o objetivo. Tudo é importante para vermos onde devemos melhorar”, esclarece Dayanna.

De acordo com Drielle, além das videoaulas, que servem de apoio para introduzir o conteúdo, as aulas propriamente ditas acontecem em tempo real e é possível interagir com o grupo e tirar dúvidas. “Para mim, o que difere do presencial é somente que a gente fica no computador e o professor na sala virtual. Mas, como as web conferências são ao vivo, a gente pode fazer perguntas e tirar dúvidas na hora. O professor passa todo o conteúdo da mesma forma que ele faria no presencial”, pontua.

Segundo semestre

Apesar do sucesso no ensino remoto emergencial, Dayanna adianta que, a princípio, a Uninassau pretende manter o modelo, mas estuda retomar o ensino presencial gradualmente, dependendo dos decretos do Governo de Pernambuco. “Para o segundo semestre, estamos aguardando o que o Governo do Estado vai autorizar. A intenção é manter as aulas remotas, se permanecer o isolamento social, e ir retomando aos poucos. Mas vamos continuar trazendo os benefícios do Ensino a Distância”, avalia.

E mesmo que a volta presencial leve mais tempo, os estudantes dos cursos de Saúde não serão prejudicados. Isso porque eles precisam cumprir uma carga horária mínima de aulas práticas estabelecida pelo Ministério da Educação. “Os estágios foram temporariamente suspensos, por determinação do MEC. Mas o Ministério autorizou, recentemente, que algumas atividades práticas também possam ser realizadas remotamente, com tecnologias e laboratórios virtuais. Não conseguimos adaptar na totalidade mas, assim que voltar à normalidade, a gente vai repor”, garante a gerente acadêmica.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias