Boa Notícia

China descobre dois medicamentos específicos contra o coronavírus

Substâncias impedem que o vírus se multiplique dentro do corpo

JC
JC
Publicado em 23/04/2020 às 11:35
Notícia
Foto: Pixabay
Dois medicamentos contra o coronavírus foramd escobertos na China - FOTO: Foto: Pixabay
Leitura:

DIVULGAÇÃO
SELO PATROCINADO UNINASSAU - DIVULGAÇÃO

Uma boa notícia foi dada através de uma pesquisa científica da Academia Chinesa das Ciências, onde dois medicamentos específicos contra o novo coronavírus foram descobertos. As substâncias impedem que o Sars-CoV-2 se multipliquem dentro do corpo humano. 

A pesquisa, que foi coordenado por Wenhao Dai, foi realizada através de uma análise estrutural do vírus, em particular com a enzima protease. Quando as moléculas inibidoras desta enzima, denominadas de 11a e 11b, enfrentaram os primeiros testes tiveram resultados positivos, ou seja, conseguiram inibir a ação da protease do vírus. Em experimentos realizados em ratos, os inibidores da protease 11a mostraram baixa toxicidade, e para essa molécula os testes seguem para fase pré-clínica em busca de obter novos resultados. 

Os dois medicamentos chineses juntam-se a outro descoberto na Holanda, capaz de atuar na mesma enzima, e um na Alemanha, que age contra a proteína spike - que é uma proteína em formato de T considerada a chave que abre a fechadoura da célula do hospedeiro, permitindo que o Sars-Cov-2 entre na célula humano onde libera seu material genético, produz cópias dele mesmo e infecta o organismo.

Desta forma, as quatro moléculas podem se tornar os primeiros remédios a serem usados contra uma doença que se sabe muito pouco, a Covid-19. Caso sejam considerados seguros, os medicamentos poderão ser testados em seres humanos em breve. No entanto, ainda não há data para que sejam disponibilizados.

Medicamentos em testes

Para acelerar o processo de localização de remédios que podem ser usados no combate a doenças que sejam consideradas novas, a coligação Reframe foi criada. Ela torna possível a mais vasta busca por remédios e é promovida pelo Instituto Scripps, na Califórnia, com apoio financeiro da Fundação Bill & Melinda Gates. Por conta disso, no combate à Covid-19 fármacos de outras doenças estão sendo utilizados para acelerar o processo.

Dentre os medicamentos que estão sendo testados em hospitais e pesquisas para agir contra o coronavírus, estão o remdesivir, que fioi criado para o combate da ebola, a cloroquina e hidroxicloroquina, usados para o combate da malária, artrite reumatoide e lúpus, além de alguns antirretrovirais, como o lopinavir e o ritonavir, utilizado no combate ao HIV. O camostat, que age contra doenças de fígado e pâncreas, e o tocilizumabe, que combate inflamações causadas pela crise comunitária provocada pelo HIV também estão em testes.


Assine a nova newsletter do JC e fique bem informado sobre o coronavírus

Todos os dias, de domingo a domingo, sempre às 20h, o Jornal do Commercio divulga uma nova newsletter diretamente para o seu email sobre os assuntos mais atualizados do coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo. E como faço para receber? É simples. Os interessados podem assinar esta e outras newsletters através do link jc.com.br/newsletter ou no box localizado no final das matérias.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias