CORONAVÍRUS

Rússia registra segunda vacina contra covid-19, anuncia Putin

Registro foi anunciado por Putin em reunião ministerial por videoconferência

AFP
AFP
Publicado em 14/10/2020 às 15:56
Notícia

TÂNIA REGO/AGÊNCIA BRASIL
Anúncio foi feito nesta quarta-feira (14) - FOTO: TÂNIA REGO/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

A Rússia registrou sua segunda vacina contra o coronavírus, uma etapa que no país precede a fase final de testes clínicos, anunciou nesta quarta-feira (14) o presidente Vladimir Putin, enquanto o número de infecções diárias bateu um novo recorde.

O laboratório Vektor, na Sibéria, "registrou hoje a segunda vacina contra o coronavírus, chamada EpiVacCorona", disse Putin em uma reunião ministerial por videoconferência. De acordo com a vice-primeira-ministra russa responsável pela saúde, Tatiana Golikova, a vacina tem um "nível de segurança suficientemente alto". "A vacina irá agora para a fase final de testes, que envolverá 40.000 voluntários", acrescentou ela.

O laboratório Vektor, localizado na região de Novosibirsk, conduziu pesquisas secretas sobre armas biológicas durante o período soviético e contém amostras de vários vírus, desde a varíola até o ebola.

A Rússia registrou em agosto sua primeira vacina contra o coronavírus. A imunização foi desenvolvida pelo centro de pesquisas Gamaleia junto ao ministério da Defesa.

A primeira vacina russa contra o coronavírus, a Sputnik V, em referência ao satélite soviético, foi vista com ceticismo no mundo, principalmente porque não havia chegado à fase final dos testes no momento de seu anúncio com grande pompa pelas autoridades.

>> Na ONU, Putin defende o uso da vacina russa contra o coronavírus

>> Putin anuncia que sua filha testou a vacina russa contra o coronavírus

No entanto, grande parte da elite política russa afirma que foi vacinada com a Sputnik V, e Vladimir Putin citou o exemplo de uma de suas filhas. O governo espera distribuí-la em massa no país antes do final do ano.

Dados da pandemia na Rússia

A Rússia experimenta um grande ressurgimento da epidemia nas últimas semanas, com 14.231 novos casos em 24 horas anunciados nesta quarta-feira, um recorde desde o início da crise.

Na terça-feira, o país registrou um número recorde de mortos, de 244, em 24 horas.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias