Internacional

Chile não suspenderá quarentena, mas permitirá que todos votem no plebiscito

Os chilenos ou estrangeiros com residência que vierem votar no Chile deverão fazer o teste de covid-19

AFP
AFP
Publicado em 15/10/2020 às 18:45
Notícia

Foto: Reprodução
Pandemia já infectou milhões de pessoas pelo mundo - FOTO: Foto: Reprodução
Leitura:

O Chile não suspenderá a quarentena que está em vigor em algumas áreas do país - incluindo as cidades de Arica, Punta Arenas e Puerto Montt - durante o plebiscito constitucional de 25 de outubro, mas permitirá que as pessoas votem sem restrições.

Sete meses após o primeiro caso do novo coronavírus no Chile, os novos casos diários se estabilizaram em torno de 1.500 por dia. O país acumula até o momento 486.496 casos e 13.434 mortes confirmadas.

>> A repressão aos protestos no Chile volta a destacar violência policial

>> Chile estende por mais 90 dias estado de exceção por conta da pandemia de coronavírus

A cidade de Santiago, onde vivem 7,1 dos 18 milhões cidadãos do país, saiu completamente da quarentena há duas semanas, embora em algumas comunas, como Puente Alto - a mais populosa do país - a quarentena só se aplique somente aos finais de semana.

"Nas comunas que estão em quarentena ou transição (a segunda das cinco etapas do plano oficial de relaxamento das medidas restritivas), as pessoas poderão votar com apenas a carteira de identidade. Mas, se quiserem realizar outro procedimento essencial, terão para conseguir uma autorização", explicou nesta quinta-feira a subsecretária de Prevenção ao Crime, Katherine Martorell.

Cerca de 20 comunas em todo o Chile, principalmente no sul, ainda está em quarentena. Entre as mais populosas estão as cidades de Punta Arenas e Puerto Montt, no sul, e Arica, no norte do país.

Os chilenos ou estrangeiros com residência que vierem votar no Chile deverão fazer o teste PCR (swab) e ter resultado negativo 72 horas antes de entrar no país, realizado em um local credenciado pelo Serviço de Saúde.

Em decorrência da pandemia, o plebiscito em que os chilenos devem decidir se mudam ou não a Constituição para permanecer a que vale desde a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) tinha sido adiado, pois ocorreria inicialmente em 26 de abril.

Para o dia da eleição, o funcionamento das mesas de votação será estendido por mais duas horas e será estabelecido um horário especial para votação de pessoas com alto risco de contágio.

Os membros das assembleias de voto vão receber um kit especial de materiais de desinfecção e os eleitores foram convidados a trazer a sua própria caneta de tinta azul para votar nas cabines, que desta vez não terão cortinas.

O uso da máscara é obrigatório para todos os que comparecerem aos locais de votação.

pa/apg/ll/bn/mvv

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias