Coronavírus

Evo Morales recebe alta apos duas semanas internado por covid-19

Ex-presidente boliviano renunciou em novembro de 2019 devido a uma forte convulsão social interna, após 14 anos no poder

AFP
AFP
Publicado em 24/01/2021 às 16:12
PEDRO PARDO/AFP
Evo Morales - FOTO: PEDRO PARDO/AFP
Leitura:

O ex-presidente da Bolívia Evo Morales recebeu neste domingo (24) a alta médica da clínica privada onde esteve internado por duas semanas após pegar covid-19. "Me sinto bem, mas com um pouco de tosse", declarou o ex-presidente em coletiva de imprensa, após instar a população a cumprir medidas de prevenção para evitar infecções.

Morales permaneceu em uma clínica privada na cidade de Cochabamba (centro) sob os cuidados de "uma junta médica estrangeira" que não foi identificada, embora alguns meios de comunicação garantam que o ex-mandatário foi tratado por médicos cubanos. Um dos médicos que o acompanhava disse estar satisfeito com a sua evolução, pois Morales não apresentou "complicações graves ou lesões pulmonares", embora tenha recomendado algumas semanas de repouso para uma recuperação completa.

Morales afirmou que, "se os médicos autorizarem", estaria disposto a se tornar um doador de plasma sanguíneo para a recuperação de infecções futuras, embora o médico tenha esclarecido que tal decisão será baseada em avaliações médicas.

>> Teste negativo de covid-19 será obrigatório para espectadores do Mundial de Clubes

>> Número de vacinados contra a covid-19 no Brasil chega a 528,2 mil

>> Covid: ação do Podemos pede priorização de pessoas com deficiência em vacinação

>> Média móvel de mortes por covid-19 no Brasil fica em 1.021 neste sábado

O esquerdista Morales (2006-2019) testou positivo para covid-19 em 13 de janeiro. Posteriormente, já na clínica privada, o próprio Morales revelou que as autoridades da Argentina, Cuba e Venezuela, com os quais mantém relações políticas estreitas, se ofereceram para transferi-lo a esses países para lhe dar tratamento especializado.

O ex-presidente boliviano renunciou em novembro de 2019 devido a uma forte convulsão social interna, após 14 anos no poder. A Bolívia enfrenta uma segunda onda de infecções por covid-19 com cerca de 200.000 infecções e 9.927 mortes, em uma população total de 11,5 milhões de habitantes.

Comentários

Últimas notícias